Laboratório e Produção

Referência em tecnologia

Para manter o alto padrão de qualidade de seus produtos, a Marluvas mantém um laboratório completo, com sistemas de avaliação para ensaios físico-mecânicos e equipamentos de análise de substâncias restritivas. Tanto os calçados quanto seus componentes são testados. Avaliamos o desempenho quanto à qualidade, resistência, impacto, abrasão, entre outros.

A equipe de profissionais é formada por técnicos treinados em laboratórios credenciados ao Ministério do Trabalho, garantindo a confiança dos relatórios emitidos. Esses documentos são utilizados como referência para certificações nacionais e internacionais.

Produção

Acompanhe a produção completa de um calçado de segurança Marluvas, desde a chegada da matéria-prima
até a embalagem final.

1. Matéria-prima

O couro é rigorosamente conferido e selecionado. A Marluvas adquire apenas peças de primeira qualidade, de acordo com os requisitos normativos.

2. Corte

São cortadas as peças que constituem o cabedal: a gáspea, os canos, a taloneira, a lingueta e o colarinho. Também são cortados as palmilhas e os forros internos.

3. Gravação do CA

Cada parte é trabalhada para ser costurada. O calçado recebe o número do Certificado de Aprovação (CA) emitido pelo Ministério do Trabalho e, se necessário, o certificado de entidades européias e americana.

4. Pesponto

Com as peças preparadas, chega o momento do pesponto, ou seja, a costura. Ela deve ser feita de forma adequada para garantir conforto, segurança e maior durabilidade.

5. Fase intermediária

São colocados os contrafortes, os ilhoses e os rebites, além do molde da curvatura do pé. A palmilha de montagem também leva a identificação da ficha de produção, permitindo o rastreamento do calçado.

6. Montagem

No setor de montagem, a palmilha é fixada no cabedal por meio do sistema Strobel. Agora, a fôrma é colocada no cabedal e são colocados também os equipamentos de segurança, como biqueira e palmilha de aço.

7. Asperagem

Após o processo da montagem, o calçado é asperado para receber a injeção do solado.

8. Injeção do solado

Já montados, os cabedais são colocados nas injetoras e recebem, por meio do processo de injeção direta o soladobidensidade de poliuretano.

9. Acabamento

As fôrmas são retiradas, o couro recebe uma camada de graxa e é escovado, para maior durabilidade. Logo em seguida, são colocadas as palmilhas higiênicas. Para finalizar, os calçados são identificados e embalados para a expedição.

10. Controle de Qualidade

Os calçados são conferidos rigorosamente antes da embalagem.

11. Embalagem

A última etapa é a da embalagem coletiva. Durante todo o processo, a Marluvas faz o melhor para garantir ao consumidor proteção e conforto máximo.