O conceito de produtividade carrega em seu bojo o “fazer mais com menos”, que traduz a necessidade de ser eficiente naquilo que se propõe a executar. Para isso, é preciso acima de tudo ter foco, eliminando toda e qualquer distração, para definir as prioridades em cada etapa, para planejar corretamente as atividades no menor tempo possível.

            Para se obter assertividade no planejamento, visando chegar ao máximo de produtividade, é preciso ter forte espírito crítico de análise. A partir daí busque definir corretamente os tempos e os movimentos das atividades, eliminando ou adequando de forma antecipada todos os gargalos existentes na operação. Alcançando esse método, será possível identificar tudo o que fazemos manualmente que possa ser sistematizado, maquinizado, a fim de ganhar agilidade nos processos.

            Profissionais atentos às variáveis no planejamento das operações, criam uma sequência assertiva de atividades, porque avaliou de forma antecipada e com muito critério cada uma delas, eliminando distorções e distrações que venham provocar perda de eficiência em todo o processo. Explorar o potencial desconhecido estimula a conquista do jamais imaginado.

            Por isso, é preciso estar atento à gestão do tempo, definindo a meta a ser atingida, com organização das tarefas, sem adotar a procrastinação. Essa, na maioria das vezes, está associada à resistência a mudanças, principalmente por desconhecimento do novo, algo que gera receio em aceitar a inovação. Mas saiba que subestimar nossa capacidade de fazer mais com menos é mais comum do que se imagina. O desafio é a adrenalina que alimenta o querer. Esse, se bem comunicado, gera o acreditar, dando energia e segurança para toda a equipe buscar a meta estabelecida.

Com a meta estabelecida, chegou a hora de definir como fazer para alcançá-la e estabelecer o prazo para que ela seja cumprida. Por isso, organizar é a palavra de ordem para criar o método a ser aplicado. Ser organizado alivia tensão e cria um propósito, elaborando rotina das atividades em prol do melhor resultado, delegando o gerenciamento do tempo como oportunidade para estimular as pessoas no desenvolvimento da boa gestão com resultados. Para fazer isso, não há dúvidas, é preciso formar uma equipe engajada e talentosa, com habilidades e conhecimentos a fim de atingir a produtividade almejada.

            No entanto, conforme dito anteriormente, trabalhar com produtividade exige boa estratégia e muito esforço para eliminar toda interferência negativa no processo de trabalho, porém, tal aumento da pressão pode gerar estresse no relacionamento da equipe. Deste modo, o descanso, visando a energização, precisa fazer parte do planejamento. Ele será o estabelecimento de limites para equacionar equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

            Observe o seu entorno: como são as pessoas que trabalham com você? O que para elas é importante? Em quais situações elas desenvolvem um trabalho mais prazeroso? O equilíbrio da produtividade está diretamente ligado a métodos e pessoas e exige um aperfeiçoamento contínuo. Ao acomodar-se com o resultado atingido, corre-se o risco do atrofiamento do conhecimento, portanto, é preciso aplicar o kaizen, termo de origem japonesa que quer dizer “melhoria contínua”: hoje melhor do que ontem e amanhã melhor do que hoje, para atingir a alta performance.

            Portanto, respire fundo, a competitividade do mercado exige das organizações e seus profissionais, capacidade criativa e produtiva, para realizar seus negócios, da melhor forma possível, dentro do contexto concorrencial.

“É preciso ser rápido e reconhecer que as mudanças existem. Reconhecer que alguém está chegando para tomar seu mercado”. Jack Welch

Denilton J. Silva – CEO da Marluvas Equipamentos Profissionais Ltda e Diretor da Focus Organização & Gestão Empresarial Eirele                                                                                                                              

#Indicca – Geração de Conteúdo