Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Para falar sobre LGPD: [email protected]

11 de Junho 2020

Tudo sobre EPI hospitalar e sua importância

A saber, EPI hospitalar são todos os equipamentos de proteção individual destinados à proteção dos profissionais que atuam em hospitais e demais áreas da saúde. Integral ou parcialmente esses equipamentos se estendem também aos consultórios e clínicas odontológicas, oftalmológicas, estéticas e outros.

Decerto, O EPI hospitalar protege o trabalhador contra riscos químicos, físicos e biológicos, resguardando sua saúde contra o aparecimento de uma série de lesões e doenças ocupacionais, além de infecções e outros riscos presentes nos setores de cuidado com a saúde.

Com o estouro da pandemia do Covid-19 ficou ainda mais evidente a importância da utilização de equipamentos de proteção individual básicos como máscaras, luvas e macacões.

Neste texto vamos aprender mais sobre a importância desses, e de outros EPI’s hospitalares, além de como deve ser feita sua correta escolha e quando se dá a necessidade de utilização. Equipamento de proteção individual é direito do trabalhador e obrigação do empregador. Os EPIs atuam salvando vidas por meio da promoção de um trabalho mais seguro e eficaz.

 

EPI hospitalar e a regulamentação da NR32

O trabalho na área da saúde é regulamentado pela NR 32 – Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. A própria norma se define a partir da seguinte descrição:

Esta Norma Regulamentadora – NR tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral. Para fins de aplicação desta NR entende-se por serviços de saúde qualquer edificação destinada à prestação de assistência à saúde da população, e todas as ações de promoção, recuperação, assistência, pesquisa e ensino em saúde em qualquer nível de complexidade.”

Dessa forma, a NR 32, engloba a regulamentação de atividades realizadas em quaisquer tipos de hospitais, clínicas, consultórios, laboratórios e outros departamentos de prestação de serviços voltados para a saúde. A Norma Regulamentadora 32 define o que são riscos biológicos, químicos, físicos e por radiações ionizantes. Além de definir, a norma enumera todos os procedimentos de segurança que devem ser adotados diante da presença de cada um desses riscos.

 

Norma NR 32

Manuseio, limpeza e descarte dos materiais, equipamentos e ambientes são essenciais para assegurar a saúde do trabalhador no ambiente de assistência à saúde. Em relação ao EPI hospitalar a NR 32 orienta que os Equipamentos de Proteção Individual, descartáveis ou não, deverão estar à disposição, em número suficiente, nos postos de trabalho, de forma que seja garantido o imediato fornecimento ou reposição.

A norma regulamenta ainda que, além do cumprimento do disposto na legislação vigente, os EPIs hospitalares devem atender às seguintes exigências: ser avaliados diariamente quanto ao estado de conservação e segurança; estar armazenados em locais de fácil acesso e em quantidade suficiente para imediata substituição; segundo as exigências do procedimento ou em caso de contaminação ou danos.

Todavia, com relação às atividades envolvendo quimioterápicos antineoplásicos a Norma Regulamentadora 32 determina que é vedado iniciar qualquer atividade na falta de EPI. Está proibida também a movimentação de cilindros de gases sem EPIs adequados. E além de tudo é necessário elaborar manuais de procedimentos relativos à limpeza, descontaminação e desinfecção de todas as áreas, incluindo superfícies, instalações, equipamentos, mobiliário, vestimentas, EPI e materiais.

 

Você conhece a lista básica de EPI hospitalar?

Cada atividade dentro do ambiente hospitalar vai demandar a utilização de um, ou mais, EPIs específicos. Os equipamentos mais básicos serão listados a seguir. Um mesmo EPI hospitalar,como máscaras e luvas, pode ser confeccionado em diferentes tipos de materiais e a escolha também vai depender da atividade desempenhada pelo colaborador que irá utilizar.

 

Máscaras

Em primeiro lugar, a máscara cirúrgica é um EPI hospitalar dos mais básicos e é empregada em diversos procedimentos. A máscara é capaz de combater acidentes de origem biológica, protegendo o colaborador contra a transmissão de doenças por meio de fluidos durante o contato com um paciente infectado. Máscaras descartáveis, mais comumente utilizadas, são diferentes das máscaras de proteção respiratória, tipo N95. A segunda oferece uma barreira de proteção muito maior.

 

Luvas

Em segundo lugar, Junto com as máscaras, as luvas formam uma dupla básica e amplamente utilizada de EPI hospitalar. A maioria dos procedimentos realizados na área da saúde exige o uso de luvas descartáveis para proteger contra riscos químicos e biológicos, que são dois dos principais meios de contrair infecções. A luva é fundamental também para a manipulação de contaminantes e, dependendo do material, pode ter proteção física contra objetos cortantes e perfurantes, por exemplo.

 

Calçados

Os calçados também são um EPI hospitalar e devem receber tanta atenção quanto os demais já que são utilizados pelos colaboradores durante todo o dia a dia de trabalho.Os sapatos de proteção para o ambiente hospitalar devem ser fechados, fabricados em materiais impermeáveis, confortáveis e com solado antiderrapante. Resistência a produtos químicos também pode ser necessária.

 

Óculos

Certamente, óculos de proteção devem ser utilizados sempre que o trabalhador tiver que realizar atendimento a pacientes infectados, sob o risco de excreções ou secreções respingarem nos olhos. Esse EPI hospitalar também protege os olhos de componentes químicos entre outros.

 

Aventais e macacões

O avental e o macacão são empregados principalmente em práticas cirúrgicas, devendo ser descartáveis e sempre individuais. A função principal é servir de barreira contra secreções e substâncias capazes de comprometer a saúde do colaborador. Além disso, itens feitos em algodão devem ser sobrepostos com um material impermeável. Essas vestimentas devem ser utilizadas, fora de cirurgia, quando o colaborador estiver em contato com pacientes portadores de doenças altamente contagiosas.

 

Touca

Por fim, a touca é um EPI hospitalar que protege não só o colaborador, mas também os pacientes. A touca evita o contato do colaborador com agentes contaminantes e também impede a queda de cabelos no momento da execução de tarefas. Com toda a certeza, é um EPI hospitalar muito importante em estabelecimentos de saúde.

É extremamente importante a utilização do EPI hospitalar tendo em vista que o profissional da saúde está exposto, o tempo inteiro, a uma série de riscos principalmente químicos e biológicos. Para cuidar da saúde de terceiros com o máximo de eficácia o profissional precisa primeiro cuidar da própria saúde. Dar a devida importância ao uso do EPI hospitalar é o primeiro passo para isso.

 

 

 

0 Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

nossas redes sociais