O Certificado de Aprovação não existe mais? Tudo o que você precisa saber

O Certificado de Aprovação não existe mais? Tudo o que você precisa saber

A saber, em novembro de 2019 o atual Presidente da República, Jair Bolsonaro, editou e assinou a MP 905. Essa Medida Provisória, entre outras coisas, altera algumas determinações relacionadas à segurança do trabalho. A principal delas talvez seja a anulação da necessidade do Certificado de Aprovação para comercialização dos equipamentos de proteção individual. Entretanto essa anulação representa o fim do CA e apresenta riscos à saúde do trabalhador? Vamos entender juntos.


Você sabe do que se trata o Certificado de Aprovação e qual a sua importância para a segurança do trabalho? Certamente o CA é um documento, emitido pelo Ministério do Trabalho, que tem o papel de estabelecer o prazo de validade para comercialização um determinado EPI. Até então nenhum equipamento de proteção individual poderia ser comercializado sem um Certificado de Aprovação ou com um CA vencido.

Comercialização dos EPI´s

A importância do uso dos EPIs é assunto constante aqui em nosso blog. Inegavelmente é dever do empregador fornecer aos seus colaboradores equipamentos adequados, de qualidade e em perfeito estado de conservação. O uso correto dos equipamentos de proteção individual impacta diretamente na segurança do colaborador, na qualidade de vida do mesmo e no desempenho das tarefas realizadas no dia a dia. O EPI pode ser crucial para evitar acidentes e doenças ocupacionais e salvar vidas.

Portanto, levando todos esses fatores em consideração e sabendo que o Certificado de Aprovação era responsável por determinar a validade para comercialização do EPI, entendemos sua importância. No momento da aquisição de qualquer EPI era extremamente importante consultar a validade do CA para saber se o equipamento estava sendo comercializado de forma legal e que não apresentaria nenhum risco para a saúde do trabalhador.

Certificado de aprovação x validade do EPI

É importante saber também que a validade do Certificado de Aprovação é diferente da Validade do equipamento de proteção individual em si. O Certificado de Aprovação determina por quanto tempo EPI pode ser comercializado, enquanto a validade do EPI determina por quanto tempo ele pode ser utilizado sem perder suas propriedades de segurança. O CA possuía validade máxima de 5 anos e podia ser renovado. Já a validade do EPI era determinada com base em testes laboratoriais de resistência dos materiais.

No momento da compra do EPI os dois prazos de validade deviam ser verificados. Após a compra a única data levada em consideração deveria ser a data de validade.

A MP 905 realmente extingue o Certificado de Aprovação?

A MP 905 ficou conhecida por diversas alterações na CLT e pela consolidação do Contrato Verde e Amarelo. A fim de você pode entender melhor do que se trata o Contrato Verde e Amarelo, clique no link. No que diz respeito à segurança do trabalho ela altera, entre outras coisas, a forma de validar a comercialização dos equipamentos de proteção individual. Todavia a alteração foi feita no artigo 167 da CLT que trazia, originalmente o seguinte texto:

Art. 167 – O equipamento de proteção só poderá ser posto à venda ou utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação do Ministério do Trabalho.

A MP 905/2019 realizou a seguinte alteração:

Art. 167. O equipamento de proteção individual só poderá ser posto à venda ou utilizado com a indicação de certificado de conformidade emitido no âmbito do Sistema Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – Sinmetro ou de laudos de ensaio emitidos por laboratórios acreditados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro, conforme o disposto em ato da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Essa alteração isenta o Ministério do Trabalho da tarefa de realizar a aprovação do equipamento de proteção, remetendo a função ao INMETRO e laboratórios acreditados. A preocupação maior daqueles que dependem do EPI para estar em segurança é: como saber a partir de agora que o equipamento está sendo comercializado em dia com as normas de segurança? Antes era possível realizar uma consulta online para saber se o CA apresentado no produto era válido de fato. Sem essa confirmação qual a garantia de que o EPI adquirido está em dia com as normas de segurança?

Vale ressaltar ainda que a MP não isenta o EPI da necessidade de ser testado quanto à sua eficácia e qualidade. Os testes apenas deixam de ser de responsabilidade do Ministério do Trabalho e não são mais registrados e compilados com o nome de Certificado de Aprovação. Em contrapartida, a partir da alteração na CLT quem realiza compras de EPI e quem utiliza os mesmos deve redobrar a atenção no momento da escolha, a partir de agora. Opte sempre pelas marcas que possuam testes de qualidade e ensaios rigorosos e que apresentem laudos e registros de qualidade e eficiência sobre seus produtos. Desse modo, esses registros devem ser válidos, documentados e consultáveis.

Como a Marluvas vai proceder com o fim do Certificado de Aprovação?

A Marluvas, juntamente com outras marcas fabricantes de EPI, firmou uma parceria com a Animaseg substituiu o Certificado de Aprovação pela emissão do RA – Registro Animaseg.O RA permite consulta para validação assim como o CA. A Animaseg é uma Associação que reúne a maioria dos fabricantes e importadores de equipamento de proteção individual. Um ambiente que proporciona discussões, mudanças de normas, ajustes de mercado e tudo mais que envolva burocracias relacionadas à produção e comercialização de EPI’s.

O Registro Animaseg foi criado com o intuito de minimizar os impactos da extinção do Certificado de Aprovação. A ideia é facilitar a vida dos compradores que já estão habituados com o CA, com o padrão de numeração, as ferramentas de consulta e tudo mais que envolvia o certificado. A Animaseg registra o equipamento de proteção assegurando que ele foi devidamente testado, que possui laudos válidos e que as características de proteção informadas pelo fabricante são válidas de fato.

Registro Animaseg

O registro dessas características é validado por uma sequência numérica que segue o mesmo padrão do conhecido Certificado de Aprovação. A Marluvas enquanto referência no mercado EPI se empenhou para que o RA fosse desenvolvido de forma a facilitar a vida de todos aqueles que confiam no seu trabalho. São milhares de trabalhadores de todos os segmentos, técnicos em segurança, engenheiros, donos de empresas e pessoas que dependem do EPI diariamente e confiam nos equipamentos e nos posicionamentos da marca.

Em suma, é importante salientar que apesar das mudanças nominais, de CA para RA, as formas de consulta de validação dos EPI’s continuam as mesmas e podem ser feitas pelas plataformas habituais. Um equipamento que teve seu CA vencido após a mudança, foi testado novamente e aprovado pelo RA, manteve seu número de validação inalterado. Ademais a mudança da numeração de série do só ocorre se o EPI tiver sua proteção comprovadamente diminuída no momento da renovação.

Assista nossos vídeos para mais informações e esclarecimento: A extinção do C.A. e o futuro do EPI e Os impactos do R.A. no seu dia a dia.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#epi #equipamentos de segurança #Certidicado de Aprovação

Equipamento de proteção individual em tempos de pandemia

Equipamento de proteção individual em tempos de pandemia

Decerto, a importância do uso do equipamento de proteção individual nunca foi tão falada como nos tempos atuais (EPI em tempos de pandemia). Com o estouro da pandemia do novo Coronavíus o uso de EPI’s para proteção da face está sendo adotado por toda a população e não somente pelos trabalhadores da saúde. Com toda a certeza, as máscaras para proteção facial, descartável ou reutilizável, agora fazem parte da rotina de milhões de pessoas ao redor do mundo.

Apesar de algumas ressalvas por parte da Organização Mundial da Saúde o uso das máscaras passou a fazer parte da rotina de pessoas que, mesmo sem sintomas do Covid-19, precisam sair às ruas para trabalhar, fazer compras, pagar contas, ou realizar algum outro tipo de atividade essencial. O uso desse equipamento de proteção individual reduz a propagação de gotículas de saliva que podem carregar o vírus. Dessa forma se você está contaminado, mas é assintomático, você reduz as chances de contaminar as pessoas ao seu redor.

Vale ressaltar que a maior forma de evitar a propagação do vírus continua sendo o isolamento social. Dessa forma muitas empresas adotaram o esquema de serviço home office voluntário e outras estão fechadas por decretos dos governos locais. Em diversos lugares do Brasil apenas serviços considerados essenciais podem funcionar. Quem está diagnosticado com a Covid-19, ou está com sintomas de tosse e febre, deve se isolar e não ter contato próximo com outras pessoas. Saiba mais sobre a doença clicando aqui.

Importância do uso do equipamento de proteção individual

O uso do equipamento de proteção individual é fundamental para garantir a saúde e a proteção do trabalhador. Afinal a correta utilização é capaz de anular a ocorrência de uma série de acidentes de trabalho, além de evitar consequências mais graves caso haja algum tipo de eventualidade. O EPI também é uma forma de garantir que o trabalhador não será exposto a uma série de doenças ocupacionais.

As doenças ocupacionais, de um modo geral, são consequência dos esforços/movimentos realizados de forma contínua e repetitiva. Essas podem comprometer a capacidade de trabalho e até mesmo a vida pessoal do trabalhador. De acordo com a Norma Regulamentadora 6 – NR6, responsável por regulamentar a aquisição, distribuição, uso e manutenção dos EPI’s, todos os equipamentos de proteção fornecidos pelo empregador devem ser escolhidos de maneira correta, além de estar em perfeito estado.

Cabe ao colaborador zelar pela manutenção dos mesmos, utilizando-os de forma correta e somente dentro do período de expediente. Portanto é obrigação do empregador fornecer o equipamento de proteção individual, orientar sobre o uso e zelar, junto ao trabalhador, pela conservação deste. A Norma Regulamentadora 32 – NR32 regulamenta as diretrizes de saúde e segurança do trabalho em serviços de saúde.

Norma Regulamentadora 32

Antes de mais nada a NR32 trata de situações em que os agentes de saúde são expostos a riscos biológicos, químicos e físicos. A norma ainda prevê que todos os profissionais de saúde expostos a agentes biológicos devem usar equipamentos de proteção individual adequados e criteriosamente escolhidos para a situação. Os EPI’s utilizados por médicos, enfermeiros e demais agentes de saúde, com o intuito de evitar contaminações, proporcionam uma maior qualidade no atendimento de pacientes.

  • Luvas: fornecem proteção contra ameaças biológicas e químicas. Quanto maior o perigo de contágio, mais resistente precisa ser o acessório;
  • Gorro: fornece proteção contra partículas e contra a queda de cabelos em materiais de trabalho;
  • Capote: fornece proteção no centro de cirurgia e é uma outra barreira contra substâncias. Deve ser descartado;
  • Sapato de segurança: calçado fechado, conforme determina a regulamentação;
  • Máscara: ao lado da luva, forma o conjunto básico de Equipamentos de Proteção Individual para enfermeiros, prevenindo acidentes biológicos e contaminação respiratória;
  • Óculos: fornece proteção para os olhos contra componentes radioativos e químicos.

Equipamento de proteção individual e o combate ao Coronavírus (EPI em tempos de pandemia)

O uso do equipamento de proteção individual é primordial para que os profissionais da saúde estejam seguros durante o trabalho de combate à pandemia do novo Coronavírus. Os EPI’s devem ser utilizados corretamente, em conjunto com as boas práticas de higiene pessoal e limpeza do ambiente. O sistema de saúde brasileiro já sentiu os impactos da chegada da pandemia ao país. Entre os problemas enfrentados está a falta de equipamento de proteção individual adequado para os profissionais da área.

Pensando em contribuir de alguma forma na luta contra o Coronavírus e minimizar o impacto causado pela falta de equipamentos de proteção, a Marluvas realizou uma doação de dois mil pares de calçados EPI para hospitais de cidades mineiras e também para outros estados. Esses calçados serão utilizados por médicos, enfermeiros e profissionais técnicos. A máscara é o equipamento de proteção individual mais citado, mas está longe de ser o único utilizado quem trabalha na área da saúde. Aventais, jalecos, calçados e luvas também são extremamente importantes.

A ANVISA e a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade emitiram orientações e recomendações específicas relacionadas aos procedimentos, medidas de prevenção, uso de equipamentos e materiais, manipulação com os pacientes e descarte do lixo durante a pandemia. Abaixo estão listados cada um dos equipamentos básicos, separados pela orientação de uso.

Para profissionais de saúde no cuidado direto com o paciente

  • Máscara Cirúrgica
  • Capote
  • Luvas
  • Proteção ocular (óculos ou máscara facial)

Para profissionais de saúde nos procedimentos que geram aerossóis em pacientes com COVID-19

  • Máscara N95 ou FFP2
  • Capote
  • Luvas
  • Proteção ocular
  • Avental

Para profissionais da higiene e limpeza dos hospitais no quarto do paciente com COVID-19 – EPI em tempos de pandemia

  • Máscara cirúrgica
  • Capote ou avental
  • Luvas de trabalho pesado
  • Proteção ocular (se houver risco de respingo de materiais orgânicos ou químicos)
  • Botas ou sapatos de trabalho fechados

Outras recomendações para uso de equipamento de proteção individual na área da saúde

Os Equipamentos de Proteção Individual utilizados em ambiente hospitalar, descartáveis ou não, deverão estar à disposição, em número suficiente, nos postos de trabalho, de forma que seja garantido o imediato fornecimento ou reposição. Os EPI’s devem ser avaliados diariamente quanto ao estado de conservação e segurança, estar armazenados em locais de fácil acesso e em quantidade suficiente para imediata substituição segundo as exigências do procedimento ou em caso de contaminação ou dano.

Com relação aos quimioterápicos antineoplásicos é vedado: iniciar qualquer atividade na falta de EPI. O trabalhador que realiza atividades em áreas onde existam fontes de radiações ionizantes deve usar os EPI adequados para a minimização dos riscos. Na radiologia intra-oral: caso seja necessária a presença de trabalhador para assistir ao paciente, esse deve utilizar os EPIs. É proibido movimentação de cilindros de gases sem EPIs adequados.

#Indicca – Geração de Conteúdo

Marluvas completa 48 anos de compromisso com a proteção do trabalhador

Marluvas completa 48 anos de compromisso com a proteção do trabalhador

Neste mês de abril a Marluvas completa 48 anos de história e compromisso com a proteção do trabalhador. Certamente durante todos esses anos a maior preocupação da empresa sempre foi oferecer ao mercado produtos com máxima qualidade, capazes de proporcionar o máximo de conforto, saúde e segurança a todos aqueles que confiam na marca.

Decerto, ao longo dessa trajetória a Marluvas já conquistou diversos certificados, nacionais e internacionais, que comprovam a qualidade dos seus produtos e o compromisso em fazer sempre o melhor. Além disso, nos anos de 2018 e 2019, a Marluvas conquistou o prêmio Top Of Mind de Proteção. Esse prêmio é a principal forma de reconhecimento para as empresas e instituições que atuam no setor de Saúde e Segurança do Trabalho brasileiro.

Premiação Marluvas

Inegavelmente, todos os certificados e prêmios conquistados pela Marluvas ao longo dos 48 anos de história são fruto de um trabalho muito intenso e com muita dedicação. A marca possui sede em Dores de Campos, Minas Gerais, e mais 9 unidades espalhadas pelo interior mineiro: Capitão Enéas; Piedade do Rio Grande; Cruzília; São Vicente de Minas; Minduri; Madre de Deus de Minas; Prados, Oliveira e Dores de Campos.

A missão Marluvas é produzir e comercializar calçados contribuindo com a segurança, saúde, conforto, lazer e produtividade de nossos clientes, respeitando o meio ambiente e colaborando com o crescimento da nossa comunidade. A visão é ser referência em sustentabilidade de negócios no segmento de calçados profissionais e buscar inovar em outros segmentos de calçados.


Como a marca conseguiu construir e manter todos esses compromissos por tanto tempo você vai descobrir nas linhas a seguir.

Conheça a história da Marluvas completa 48 anos

A trajetória da marca tem início no ano de 1972 quando, aos 16 anos, Antônio Marcelo Arruda resolve abrir sua própria fábrica de luvas. O nome da marca surge a partir da junção das iniciais do fundador e o principal artigo produzido na época: Mar (de Marcelo) e Luvas. Em 1976 Antônio Marcelo Arruda, atento às demandas do mercado, resolveu iniciar a produção de calçados de proteção e, a fim de oferecer produtos com o máximo de qualidade possível, descontinuou a produção de luvas.

As coisas deram certo e em 1982 a Marluvas, sempre pioneira, fabricou seu primeiro modelo de calçado com solado de PVC. Certamente uma evolução tecnológica para a época. Em 1989 a grande sede em Dores de Campos começou a ser construída e no ano de 1994 ocorreu a instalação do primeiro laboratório técnico Marluvas. Como resultado o laboratório elevou a garantia de toda a matéria prima utilizada na confecção dos calçados.

Em 1997 a marca deu mais um grande passo implementando o sistema de bidensidade que passou a garantir calçados mais leves e resistentes. Em 1998 a sede de Dores de Campos foi inaugurada e junto com ela a Marluvas lançou sua Central de Atendimento ao Cliente. Lançamento esse que serviu para aprimorar o relacionamento com o público. Em 2000 a Marluvas conquistou seu primeiro certificado ISO 9001.

Certificado ISO 9001

Então, de Minas para o mundo: em 2004 a Marluvas iniciou a exportação dos calçados da marca. Em 2005 a marca externalizou sua preocupação com o meio ambiente por meio do lançamento do Projeto Educam. Portanto, o Educam tem como objetivo principal conscientizar alunos de escolas públicas e particulares, de Dores de Campos e Capitão Enéas, sobre a importância de ações de proteção ambiental.

Com o intuito de buscar despertar a consciência ambiental nos alunos, além de estimular a adoção de práticas que serão levadas para dentro de casa e poderão contribuir para a conservação dos biomas brasileiros, a Marluvas, realizou palestras, mostras e diversas outras iniciativas ligadas à responsabilidade socioambiental. É a partir de pequenos passos que construímos um futuro melhor.

Ainda assim, voltando à trajetória da empresa, e às tecnologias que ajudaram a firmar a marca como pioneira no mercado, podemos citar a implementação das biqueiras de composite nos calçados a partir do ano de 2007. Em 2011 a Marluvas começou sua expansão com a inauguração de uma nova sede na cidade de Capitão Enéas. Geração de emprego e mão de obra qualificada para o interior de Minas Gerais.

40 Anos de Caminhada

No ano de 2012 a Marluvas comemorou seus 40 anos de caminhada com o lançamento de uma linha utilizando a exclusiva tecnologia M Micro. Todavia a microfibra M Micro é um material resistente e de alta performance que substitui o couro. Em 2014 foi lançada a linha Premier em M Micro Suede, uma linha de calçados ocupacionais com design inovador e materiais de alta tecnologia. Assim em 2016 mais inovação e o lançamento da linha Premier Plus, linha de alta tecnologia, além dos calçados Flex Clean, em EVA, superleves e flexíveis.

No ano de 2019 a Marluvas, pioneira e líder no mercado de calçados ocupacionais, resolveu voltar às suas origens e entregar mais um produto de qualidade ao mercado. Estamos falando do retorno da fabricação de luvas de segurança.

Marluvas volta a fabricar luvas de proteção (Marluvas completa 48 anos)

A saber, as luvas de proteção Marluvas são produzidas em parceria com a empresa americana MCR Safety. A parceira Marluvas, MCR Safety, tem 46 anos de história, é referência no mercado mundial de equipamentos de proteção individual e há dez anos atua no mercado brasileiro. Primordialmente, o propósito da parceria, estudada e planejada durante meses por ambas as partes, é oferecer produtos de extrema qualidade ao mercado consumidor, além de consolidar e expandir de uma vez por todas a atuação da empresa americana no cenário brasileiro de EPI.

Completas em conforto e segurança as novas luvas de proteção Marluvas oferecem ao trabalhador o máximo de proteção contra cortes, variação de temperaturas e abrasão. Além disso, as luvas ainda proporcionam o máximo de aderência, sensibilidade tátil, destreza e alta resistência. Essas últimas características são de extrema importância uma vez que a sensibilidade tátil é fundamental para que o trabalhador tenha segurança ao manusear qualquer objeto e as mais diversas ferramentas de trabalho.


Padrão de qualidade Marluvas

Acima de tudo a Marluvas produz calçados e luvas que atendem normas nacionais e internacionais. Para manter a qualidade e a relação custo-benefício dos produtos, a empresa tem uma estrutura com softwares e equipamentos de última geração que agilizam o desenvolvimento e os processos de fabricação. De fato, todos os modelos são desenvolvidos a partir de pesquisas, buscando sempre alta performance, durabilidade e diferenciação no design para cada área de trabalho. São várias etapas envolvidas no processo.

Assim sendo, para o desenvolvimento dos produtos Marluvas são pesquisados materiais que atendam a especificações técnicas como utilização, espessura, resistência e aspecto visual, dentre outros. Os materiais são submetidos a ensaios laboratoriais e testes produtivos que avaliam em tempo real suas características. A equipe de desenvolvimento também oferece suporte técnico à área de produção e está presente em todas as etapas, a fim de garantir as especificações e o desempenho do produto com foco na eficiência e alta produtividade.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#produtos Marluvas #calçados de seguraça #luvas de proteção

Hospital recebe doação de dois mil pares de calçado EPI Marluvas

Hospital recebe doação de dois mil pares de calçado EPI Marluvas

Enquanto a crise do novo Covid-19 se espalha pelo território nacional e ganha força, médicos e enfermeiros de todo o Brasil denunciam a falta de equipamentos de proteção individual (EPI) e insumos básicos, como o álcool gel, para enfrentamento ao Coronavírus (Doação calçado EPI Marluvas). Até o final do mês de março a Associação Médica Brasileira e o Conselho Federal de Enfermagem receberam quase cinco mil denúncias de profissionais de todos os estados do país. São relatos sobre a falta de equipamentos, pedidos de orientação e fiscalização.

Afinal, os EPI’s são essenciais para o trabalho de quem está na linha de frente no tratamento de pacientes. Visando uma minimizar o impacto, e contribuir de alguma forma na luta contra o Coronavírus, a Marluvas realizou uma doação de dois mil pares de calçados para hospitais de cidades mineiras e para outros estados. Certamente os equipamentos são destinados a médicos, enfermeiros e técnicos.

A saber, em Minas Gerais já foram beneficiadas cerca de 20 instituições, entre elas Risoleta Neves (BH), Mario Penna (BH) e Hospitais Municipais de Contagem, São João Del Rei, Tiradentes, Barbacena, Dores de Campos, Prados, Capitão Enéas, Barroso, São Vicente de Minas, Oliveira, Madre de Deus de Minas, entre outras.

Calçado EPI Marluvas para a área da saúde (Doação calçado EPI Marluvas)

A Marluvas possui linhas desenvolvidas especialmente para proteção em ambientes como hospitais e outras áreas da saúde. São as linhas de calçados EPI Flex Clean e All Work. Os calçados da linha Flex Clean são ideais para este tipo de ambiente pois são totalmente fabricados em EVA. Decerto o Etileno Acetato de Vanila (EVA) é um tipo de plástico (polímero) emborrachado, flexível, com propriedades adesivas e componentes à prova d’água.

As principais características dos calçados Flex Clean são a leveza e a durabilidade. Apesar de não ter resistência mecânica de estiramento, o EPI produzido em EVA, tem resistência de pressão absorvendo choques. Característica perfeita para atividades que demandam muitas horas de pé e em movimento. Ao mesmo tempo, o EVA é um material atóxico, inodoro e de fácil higienização. Mais uma vantagem.

Por ser uma espécie de material emborrachado, o Etileno Acetato de Vinila é muito fácil de limpar. Às vezes apenas água e sabão são suficientes para retirar sujeiras e manchas. Quando isso não é o bastante, pode-se usar detergente, cloro ou água sanitária. Entretanto, é preciso tomar cuidado com temperaturas elevadas, que podem derreter o produto. O ideal é fazer a secagem com um pano ou à sombra.

Conheça os calçados EPI All Work

Além disso, outra linha de calçados EPI também recomendada para o ambiente hospitalar é a linha All Work. Essa linha possui calçados tipo bota com altura de cano de 25 ou 30cm, confeccionados em PVC. Com toda a certeza esse calçado EPI é perfeito para proteger os pés do contato com sangue, derivados de petróleo, óleos, produtos químicos, ácidos e solventes.

Produzidas em PVC (Policloreto de Polivinila), as botas All Work são completamente impermeáveis e de fácil higienização. Todas possuem solado full grip antiderrapante, opcional de biqueira de aço e forração interna. A bota All Work com fechamento em polaina é um diferencial da linha e a melhor opção para quem desempenha atividades em que existe o risco de derramar substâncias dentro do calçado. A polaina se ajusta à perna do trabalhador e impede a entrada de qualquer substância ou objeto.

Marluvas: EPI e causas sociais – Doação calçado EPI Marluvas

Com 48 anos de atuação, a Marluvas é líder no mercado de calçados de proteção EPI, tem dez unidades distribuídas em todo o estado de Minas Gerais e conta com mais de 3 mil colaboradores. A empresa mantém diversos programas sociais nas comunidades em que opera, a fim de contribuir com o desenvolvimento social, econômico e humano das mesmas. Não por acaso a missão da marca é “produzir e comercializar calçados contribuindo com a segurança, saúde, conforto, lazer e produtividade de nossos clientes, respeitando o meio ambiente e colaborando com o crescimento da nossa comunidade”.

Entre os projetos sociais e ambientais desenvolvidos pela Marluvas está o EDUCAM. Realizado nas escolas públicas e privadas de Dores de Campos e Capitão Enéas, duas cidades mineiras que possuem instalações Marluvas, o EDUCAM visa conscientizar os alunos sobre a importância das ações de preservação do meio ambiente. Dentre palestras, mostras e diversas outras iniciativas ligadas à responsabilidade socioambiental, a Marluvas busca incentivar a adoção de práticas, por parte dos alunos e das famílias, que possam contribuir para a conservação dos biomas brasileiros.

Parcerias – Marluvas

Outro projeto realizado pela Marluvas é a parceria com a Associação Amigos dos Animais de Dores de Campos (AMADC). A AMADC foi criada em 2013 com a finalidade de realizar a castração de cães de rua. A castração é um ato importante de amor aos animais e também uma questão de saúde pública, pois é a forma mais eficaz de diminuir a população de animais de rua. O grupo de amigos que fundou a AMADC entrou em contato com a Marluvas ao saber do histórico da empresa com projetos socioambientais e foram recebidos de braços abertos. A associação hoje é sediada em um espaço que foi viabilizado pela Marluvas.

A preocupação Marluvas com o meio ambiente não se resume aos projetos externos.A responsabilidade ambiental da empresa envolve também os processos de produção dos calçados e luvas EPI’s. Todos os resíduos gerados no dia a dia da são separados, reaproveitados e recebem a destinação correta. A reciclagem também é uma preocupação Marluvas. O trabalho é realizado em parceria com empresas licenciadas, a fim de garantir o máximo de padronização e eficiência. Antes de colocar em prática esse projeto ambiental, a Marluvas destinava todo seu resíduo a aterros industriais.

Hoje, este percentual caiu para 85% e os outros 15% são enviados para reciclagem. Os resíduos de PU (poliuretano) são reutilizados na confecção de calçados tradicionais e a espuma na confecção de pelúcias e almofadas. A Marluvas conta também com Estações de Tratamento de Esgoto – ETEs – em todas as unidades. Nessas estações são tratados os resíduos dos sanitários e lavatórios, com supervisão diária e análise físico-química de efetividade para assegurar o acompanhamento adequado.

Responsabilidade socioambiental refletida em EPI de qualidade

Tamanha preocupação com o meio externo reflete completamente a qualidade de produção dos calçados e luvas Marluvas. Além dos efetivos projetos de responsabilidade socioambiental a marca conta com uma rigorosa política de qualidade em sua linha de produção. Tudo isso para entregar ao cliente um produto final líder de mercado, com garantia de extremo conforto e segurança na realização de qualquer atividade.

Todos os EPI’s, luvas e calçados Marluvas, são desenvolvidos a partir de rigorosas pesquisas para abranger o máximo de áreas profissionais possíveis. Posteriormente, os produtos são testados em centros técnicos internos e que possuem a mais avançada tecnologia. O resultado? Entregamos ao mercado produtos com alta performance, durabilidade e design diferenciado. A Marluvas recebe as mais importantes aprovações e certificações nacionais e internacionais. No pré e pós-venda a Marluvas conta com um serviço de assistência técnica para orientar sobre escolha, uso correto e conservação do produto. É esta relação com o cliente que faz a Marluvas ser líder no mercado de calçados EPI profissionais.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#epi #equipamento de proteção #produtos marluvas

Descubra os benefícios da atividade física para as mulheres

Descubra os benefícios da atividade física para as mulheres

Com toda a certeza, os benefícios da atividade física para as mulheres vão muito além da questão estética. Essa afirmação é válida para indivíduos de todas as faixas etárias, independente do gênero. Eventualmente, neste texto vamos abordar, em especial, como a prática esportiva pode ser benéfica para o público feminino em diversos sentidos.

Sabemos que muitas mulheres precisam conciliar, diariamente, uma jornada tripla e bastante cansativa envolvendo filhos, casa e trabalho. Decerto a inserção de alguma prática esportiva dentro dessa rotina pode parecer complicada, mas com um pouquinho de jogo de cintura ela pode trazer benefícios imensuráveis. É importante lembrar que existem centenas de opções de atividades e que você não precisa passar horas em cima da esteira para desfrutar dos benefícios da atividade física.

Benefícios da atividade física.

Inegavelmente indo além da estéticas os benefícios da atividade física incluem uma maior autonomia corporal e uma saúde mental mais equilibrada. É cientificamente comprovado que a prática regular de atividade física promove o alinhamento de substâncias relacionadas ao sistema nervoso. A elevação dos níveis de oxigênio e do fluxo sanguíneo, por exemplo, agem em todo o corpo e auxiliam na melhora da memória, da concentração e ajudam a prevenir o AVC.

Manter o cérebro com suas funções reguladas e ativas é essencial para uma mulher que precisa lidar com uma carga elevada de atividades no dia a dia.

Os benefícios da atividade física e a endorfina

Você sabia que a endorfina é um dos grandes benefícios da atividade física? Com toda a certeza, esse hormônio é produzido no cérebro humano por meio de uma glândula chamada hipófise e sua principal forma de liberação é a realização de qualquer exercício físico. A endorfina possui ação analgésica e é capaz de promover relaxamento e bem estar. Entre os benefícios sentidos com a liberação regular de endorfina estão a melhora nos quadros de ansiedade e depressão, diminuição de dores musculares e enxaqueca, bem como uma notável melhora na capacidade de raciocínio e na memória.

A saber, Mulheres têm mais tendência a sofrer com distúrbios como ansiedade e depressão devido a diversos fatores. Entre eles podemos citar a vulnerabilidade social na qual as mulheres se encontram, além das alterações hormonais durante a tpm e no período gestacional, por exemplo. Escolher uma atividade física prazerosa e praticá-la com regularidade é extremamente benéfico e essencial para uma vida saudável.

Os benefícios da atividade física vão muito além da estética

Indo além dos resultados estéticos e da busca pelo “corpo perfeito”, criado por padrões sociais, os benefícios da atividade física podem ser sentidos, não só mentalmente, como também em outras camadas do corpo físico. Manter o corpo em movimento de forma regular promove a ativação e o fortalecimento de grupos musculares pouco utilizados no dia a dia. Essa característica contribui para a prevenção de lesões musculares e diminui a chance de lesões articulares em joelhos e ombros, por exemplo.

Isso porque a ativação da musculatura corporal como um todo evita problemas relacionados a sobrecarga em partes do corpo isoladas. Um corpo com musculatura forte gera autonomia em atividades do dia a dia e é, sem sombra de dúvidas, um caminho para a independência que muitas mulheres desejam. Sobretudo, sem contar que você não vai acordar mais cheia de dores pelo corpo depois de uma noite em claro na balada. 

Inegavelmente o fortalecimento cardiovascular e o aumento da oxigenação são benefícios da atividade física que contribuem para um aumento no condicionamento físico e facilitam tarefas corriqueiras do dia a dia como subir escadas e andar de um quarteirão a outro.

Devo praticar um exercício específico para colher os benefícios da atividade física?

Por certo, você não precisa se prender a uma prática específica para desfrutar dos benefícios da atividade física. O mais importante nesse caso são prazer e regularidade. A primeira coisa que falamos neste texto foi sobre como muitas mulheres têm que conciliar filhos, casa e carreira. Dessa forma é importante que a atividade física seja um momento de prazer e relaxamento. Comece intercalando a prática dia sim, dia não, para encaixar na rotina.

Nesse sentido, escolha algo que você já goste ou experimente até encontrar uma atividade que seja a sua cara. Pilates, musculação, dança, artes marciais, esportes ao ar livre, todas essas, entre tantas outras opções são válidas. É importante também contar sempre com a orientação de um profissional da área. Principalmente quando se está começando. A atividade física é extremamente benéfica, mas demanda orientação profissional para ser realizada de forma eficaz e segura.

Atividade física para as mulheres

Existe também a opção de inserir diferentes práticas na rotina e desfrutar dos mais diferentes benefícios da atividade física. Você pode praticar musculação ou pilates durante a semana, por exemplo, e praticar alguma atividade ao ar livre nos finais de semana. Ciclismo e caminhada são exemplos. Atividades ao ar livre são relaxantes e revigorantes. O ideal é que sejam praticadas em grupo para que uma pessoa auxilie a outra. Para aquelas mulheres com espírito mais aventureiro e amantes do contato com a natureza uma excelente opção é o trekking.

Ademais o trekking consiste na realização de trilhas em terrenos naturais, percorrendo parques e reservas. Existem diversos parques pelo Brasil com estrutura e roteiros de trekking pré montados, mas também existe a opção de desbravar lugares novos e conhecer as belezas naturais da sua região. Além disso, o trekking é uma atividade que pode ser praticada por pessoas de qualquer idade e com qualquer nível de condicionamento. O importante é escolher uma trilha adequada às especificidades do praticante.

Escolha de trilhas e calçados


Primeiramente comece a prática optando por trilhas menores e dê total atenção à sua preparação para a trilha. A preparação inclui, além da escolha do local, a escolha de roupas e calçados adequados e confortáveis. Se a caminhada for feita no sol, óculos, chapéu e protetor solar são indispensáveis. Certamente, o calçado deve ser confortável como um tênis de academia e seguro como um calçado de segurança.

Seja como for, a linha Premier Plus é exatamente o que você precisa para praticar um trekking seguro e aproveitar todos os benefícios da atividade física. Solado e calcanhar reforçados, material impermeável e sistema de absorção e dessorção de suor. Isso sem falar do design totalmente moderno e cheio de estilo.

Enfim, desfrute dos benefícios da atividade física com todo conforto e segurança que só a Marluvas é capaz de proporcionar.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#botas trekking #calçados marluvas

Saúde ocupacional e umidade: saiba como se proteger

Saúde ocupacional e umidade: saiba como se proteger

Com toda a certeza muita gente costuma dizer que “com saúde não se brinca”. É de conhecimento geral a importância de estar com os exames sempre em dia, manter uma rotina regular de exercícios e uma alimentação balanceada. Todavia, uma bandeira que tem sido levantada com frequência nos últimos anos é a da importância de cuidar também da saúde mental. Tirar alguns minutos do dia para relaxar e esvaziar a mente, se divertir e ter momentos prazerosos sozinho, com os amigos ou com a família.

Mas será que a saúde ocupacional tem recebido a mesma atenção? É importante que o local de trabalho seja sempre seguro e saudável para o desempenho de qualquer atividade. O trabalhador merece atenção às suas condições físicas e mentais e não apenas no desempenho da sua tarefa visando resultado. Até porque, se surgem problemas recorrentes relacionados à saúde ocupacional, a produtividade diminui e o lucro também.

Saúde Ocupacional

A saúde ocupacional é uma área da medicina voltada única e exclusivamente para os cuidados que garantem uma melhoria nas condições de saúde do trabalhador. Certamente o principal objetivo dessa área da medicina é oferecer ao colaborador um ambiente saudável e livre de riscos. A saúde ocupacional atua em prol da qualidade de vida do trabalhador oferecendo a ele um ambiente de trabalho capaz de proporcionar um maior bem-estar físico e mental.

A medicina do trabalho e a saúde ocupacional possuem definições diferentes, apesar de muitos pensarem que são sinônimos. O que acontece é que ambas atuam em prol do bem estar do trabalhador. Em primeiro lugar, a medicina do trabalho consiste no cuidado direto com a pessoa (trabalhador). É o ato de realizar exames específicos e tratar ou prevenir doenças e lesões, em consultório. O médico do trabalho vai fazer observações quanto às condições físicas e psíquicas do trabalhador, além de orientar quanto a realização de atividades, a fim de evitar sobrecargas e riscos desnecessários para a saúde.

Por fim a saúde ocupacional observa o ambiente em que a pessoa está inserida a fim de que ela utilize a medicina apenas para fins preventivos e nunca, ou quase nunca, corretivos.

Segurança do trabalho e saúde ocupacional

A segurança do trabalho é braço direito da saúde ocupacional. Inegavelmente podemos definir a segurança do trabalho como uma ciência. Um conjunto de normas técnicas, atividades, medidas e ações preventivas que buscam a melhoria e a segurança dos ambientes de trabalho. Afinal a segurança do trabalho conta ainda com estudos de prevenção de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho.

Sendo assim saúde ocupacional e segurança do trabalho andam lado a lado com o mesmo objetivo: garantir um ambiente muito mais saudável e seguro para que o trabalhador desempenhe suas atividades com tranquilidade e de maneira satisfatória. Para o empregador esse é o melhor caminho para garantir produtividade e sucesso. O investimento feito em prevenção e adequação é bem menor quando comparado aos gastos com afastamentos, baixa produtividade e mão de obra substitutiva.

Saúde ocupacional e ambientes úmidos

Aliás, existem diversas características que transformam os ambientes de trabalhos em locais com ameaças e em desacordo com os princípios da saúde ocupacional. Os riscos podem ter as origens mais diversas: operar máquinas (afiadas, quentes e outras), manusear objetos pesados, temperaturas extremas (quente ou frio), eletricidade, postura, objetos espalhados, produtos químicos, resíduos biológicos e outros.

Todavia a umidade também é um fator inimigo da saúde ocupacional e está presente em atividades diversas: hospitais, açougues, cozinhas, frigoríficos, lava jatos e etc. Atividades realizadas em ambientes muito úmidos ou molhados são consideradas insalubres mediante especificação encontrada na Norma Regulamentadora 15 – Atividades e Operações Insalubres. O anexo X da NR15 determina que“as atividades ou operações executadas em locais alagados ou encharcados, com umidade excessiva, capazes de produzir danos à saúde dos trabalhadores, serão consideradas insalubres em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho”.

Perigos da Umidade

A umidade pode acarretar danos à saúde de diferentes maneiras. Se o trabalhador está em contato direto com a água, e permanece molhado por um período prolongado de horas, como resultado, ele pode contrair resfriados, gripes e outros problemas respiratórios que podem evoluir para quadros mais graves como pneumonias. Além disso é possível contrair doenças de pele como micoses e outras.

Bem como o trabalhador que permanece com alguma parte do corpo molhada durante muito tempo pode sofrer também com efeitos causados pelo frio, como a diminuição da circulação sanguínea, capaz de gerar problemas graves como a hipotermia e a perda dos sentidos. Enfim a umidade presente no ar também pode carregar bactérias e microorganismos capazes de gerar doenças e problemas na pele.

Melhor Saúde Ocupacional

A fim de garantir uma melhor saúde ocupacional algumas medidas devem ser tomadas. A primeira delas é a realização de uma avaliação dos riscos presentes no ambiente e das causas da umidade. Feito isso é hora de aplicar medidas corretivas e preventivas. Umidade decorrente de infiltração e afins podem ser evitadas e devem ser sanadas imediatamente. Existem locais onde o excesso de umidade é causado pela falta de luz e circulação de ar.

Cabe aos responsáveis pela saúde ocupacional promover um estudo das possibilidades de permitir a entrada de luz natural e promover a circulação de ar no local. Quando não for possível fazê-los de forma natural a instalação de exaustores, ventiladores e ar condicionado pode funcionar. Inspecionar tubulações a fim de encontrar vazamentos também é uma medida necessária quando há infiltração. Além da saúde ocupacional do colaborador esse tipo de problema pode comprometer a estrutura do local.

Equipamentos de Proteção Individual

Quando a umidade é decorrente de atividades com água como a lavagem de objetos é necessário investir em equipamentos de proteção individual impermeáveis. Luvas impermeáveis, botas de pvc e aventais plásticos são indispensáveis para quem trabalha em contato direto com a água: cozinhas, açougues, lava jatos e afins.

As botas de All Work são perfeitas para esses casos. Produzidas em PVC (Policloreto de Polivinila), elas são completamente impermeáveis e de fácil higienização. Existem opções nas cores branco, preto e preto com solado amarelo, com cano longo (32cm) e médio (25cm). Todas possuem solado full grip antiderrapante e opcional de biqueira de aço e forração interna. A bota All Work com fechamento em polaina é um diferencial da linha e a melhor opção para quem desempenha atividades em que existe o risco de derramar substâncias dentro do calçado. A polaina se ajusta à perna do trabalhador e impede a entrada de qualquer substância ou objeto.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#proteção individual #saúde do trabalhador #equipamento de proteção individual