Ecoturismo pelo Brasil: dicas preciosas e destinos para conhecer

Ecoturismo pelo Brasil: dicas preciosas e destinos para conhecer

Turismo, paisagens naturais indescritíveis e uma pitada de aventura. Unindo esses três pilares do Ecoturismo no Brasil você vai praticar atividade física sem perceber e desbravar as mais belas e paradisíacas paisagens espalhadas pelo país. Afinal aqui no blog estamos sempre falando sobre a importância de cuidar da saúde no trabalho e também fora dele. A prática de atividades físicas regulares é essencial para uma vida equilibrada e você não precisa estar obrigatoriamente matriculado em uma academia para se exercitar.

O Ecoturismo, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente, consiste em uma atividade turística que utiliza patrimônios naturais e culturais de forma sustentável. Além disso, o Ecoturismo, busca o bem estar da população por meio da formação e do fortalecimento da consciência ambiental. Tudo isso por meio de um contato intenso e cuidadoso com o meio ambiente.

Atividades de Ecoturismo no Brasil

“O Ecoturismo possui entre seus princípios a conservação ambiental aliada ao envolvimento das comunidades locais, devendo ser desenvolvido sob os princípios da sustentabilidade, com base em referenciais teóricos e práticos, e no suporte legal. O desenvolvimento sustentável é um conceito que visa harmonizar o crescimento econômico com a promoção da igualdade social e preservação do patrimônio natural, garantindo que as necessidades das atuais gerações sejam satisfeitas sem, contudo, comprometer o atendimento às necessidades das gerações futuras.”

Existem uma série de atividades que se encaixam na categoria Ecoturismo: mergulho, trilha, observação de fauna e flora, visitas em cavernas e grutas, atividades de pesca, rapel, mountain bike, entre muitas outras. Conquanto a variedade de opções permite que o Ecoturismo seja desfrutado por pessoas de todas as idades e com os mais diferentes níveis de condicionamento físico. Lembrando sempre que é importante se conhecer, entender os limites do próprio corpo e procurar orientação profissional quando a prática demandar.

Exercite sua consciência ambiental praticando o Ecoturismo

O Ecoturismo é chamado também de Tursimo Ecológico. Como dito anteriormente, a prática é realizada em total contato com a natureza e desenvolvida seguindo princípios sustentáveis. O Ecoturismo visa a criação de laços e o fortalecimento da harmonia entre ser humano e meio ambiente. Se você está procurando um local de trekking, por exemplo, certamente vai se preparar para caminhadas longas e cansativas. Durante as caminhadas é comum carregar pelo menos algumas garrafinhas de água e frutas/lanches rápidos para repor as energias ao longo do dia.

O primeiro pensamento que se deve ter nesse caso é guardar o lixo produzido e descartá-lo apenas em local adequado. Não jogue embalagens na natureza e tão pouco descarte as cascas de fruta pelo caminho. Imagina escorregar em uma casca de banana enquanto faz sua trilha!? Desagradável e extremamente perigoso. Essa dica serve para qualquer passeio/prática esportiva dentro do Ecoturismo (fora dele também! Bom senso a todo tempo!).

Além das práticas mais básicas como essa, existem locais que colocam algumas regras específicas a fim de preservar ainda mais os recursos locais. Reservas ambientais são exemplo de lugares com orientações mais rígidas. Por este motivo é importante procurar conhecer antecipadamente o destino desejado e respeitar suas especificidades.

Pratique Ecoturismo no Brasil de forma segura

Cada tipo de passeio/prática esportiva do Ecoturismo vai exigir um tipo de vestimenta e equipamentos específicos. Além disso, procurar orientação profissional em determinadas situações, em todas elas é importante respeitar os pré requisitos básicos. Quem vai praticar esportes no mar deve vestir malhas específicas, não descuidar do protetor solar, além de respeitar os limites físicos e da natureza.

Os amantes da bike, por exemplo, devem usar capacetes, bermuda de ciclista, proteção para joelhos e cotovelos e calçado adequado. Enquanto para o trekking é importante utilizar roupas leves e calçado reforçado. O calçado de trekking deve ser mais do que um tênis de caminhada comum. É importante que o calcanhar esteja bem seguro e estável para evitar torções e lesões. O solado deve ser antiderrapante e o tecido impermeável, já que o contato com a natureza pode te colocar para atravessar pequenos riachos a pé.

Enfim, em todo caso é importante estar sempre em contato com profissionais do esporte e guias turísticos do destino escolhido. O Ecoturismo é uma prática que traz benefícios à saúde física, mental e ao bem estar social, mas é importante que o mesmo seja realizado com consciência e responsabilidade.

Cinco destinos no Brasil para conhecer com o Ecoturismo

O Brasil é um país extremamente rico em belezas naturais e todo mundo merece conhecer pelo menos um destes destinos.

  • Conceição do Ibitipoca – Minas Gerais

Em primeiro lugar, um vilarejo no interior de Minas Gerais com casinhas coloridas, ruas de pedras e muita natureza. Conceição do Ibitipoca abriga o Parque Estadual Do Ibitipoca, uma reserva natural dividida em quatro circuitos (trilhas). Pelo caminho diversas cachoeiras, piscinas naturais e paisagens de tirar o fôlego. Conheça a Janela do Céu e se encante por uma das mais belas vistas de Minas Gerais.

  • Fernando de Noronha – Pernambuco

Em segundo lugar, o Arquipélago de Fernando de Noronha é formado por vinte e uma ilhas, numa extensão de 26 km². A ilha principal, maior de todas e única habitada, dá nome ao arquipélago. Há quem diga que Noronha é o melhor lugar do mundo para mergulho. Visto que as águas possuem temperatura média de 26ºC e visibilidade de até 50 metros na horizontal. As outras dezenove ilhas do Arquipélago de Fernando de Noronha estão inseridas na área do Parque Nacional Marinho, são desabitadas e só podem receber visitas com licença oficial do IBAMA.

Mais alguns destinos

  • Canela – Rio Grande do Sul – Ecoturismo no Brasil

Logo depois, tranquilidade e muitas opções de lazer e descanso. A cidade de Canela, no Rio Grande do Sul, é bastante atrativa para o Ecoturismo com seus belos parques, matas nativas, ar puro e o cantar dos pássaros. Quem visita a cidade pode aproveitar as quedas d’água com até 131 metros, trilhas, morros e vales com vistas inesquecíveis. Só para ilustrar alguns dos atrativos são: passeios a cavalo, quadriciclos, jipe 4 x 4, visita a ruínas históricas, passeios de helicópteros e muitas outras atividades.

  • Morro de São Paulo – Bahia

Sem dúvida, Morro de São Paulo é uma vila situada na Ilha de Tinharé, no município de Cairu, na região conhecida como Costa do Dendê, no estado da Bahia. A história da vila passa pelo Brasil Colônia e suas praias são frequentadas por turistas de todo o Brasil e de outros países. Um destino belíssimo para os amantes do Ecoturismo. Além disso, curtir piscinas naturais, apreciar o pôr do sol e observar as baleias jubartes (entre julho e novembro), é possível praticar atividades como surf, mergulho, passeio no mangue e se aventurar na famosa “Tirolesa do Morro”.

  • Monte Verde – Minas Gerais

Por fim, eleita pela booking.com como um dos dez lugares mais acolhedores do mundo, a cidade de Monte Verde, em Minas Gerais, oferece diversas opções em Ecoturismo. Você pode praticar ciclismo nas montanhas mineiras, desbravar trilhas com paisagens de tirar o fôlego, andar de quadriciclo pelas estradas de terra das fazendas, praticar arvorismo, rapel, entre outras atividades.

#Indicca – Geração de Conteúdo

# botas alpinismo #bota confortável #bota alpinismo # botas aventura

Elegância e segurança: cuide da sua saúde ocupacional

Elegância e segurança: cuide da sua saúde ocupacional

“Eu sou engenheiro mas não frequento o canteiro de obras, meu trabalho é feito integralmente no escritório” (elegância e segurança). “Esse negócio de segurança do trabalho é só pra quem realiza atividade braçal”. “Trabalho em frente ao computador, não vou me machucar, não precisa ficar falando de saúde ocupacional ”.

A saber essas frases ilustram os pensamentos da maioria das pessoas que trabalham em escritórios e ambientes onde o trabalho é mais administrativo como consultórios particulares e outros. Para muitos desses profissionais os riscos de acidente e as ameaças à saúde ocupacional são exclusividade dos trabalhos braçais e de ambientes onde o perigo de acidente e/ou contaminação são explícitos, como um hospital ou um açougue, por exemplo.


É importante que todos os que pensam dessa forma tomem conhecimento da realidade em que estão inseridos dos riscos que ela esconde. A saúde ocupacional deve ser motivo de atenção em todo lugar, inclusive em um escritório de advocacia. Todavia uma pessoa que passa o dia inteiro sentada na frente do computador lendo, digitando, recebendo e despachando documentos importantes deve tomar cuidado com algumas doenças ocupacionais como a LER.

LER (Lesão por Esforço Repetitivo)

A LER (Lesão por Esforço Repetitivo) não é uma doença específica e sim um conjunto de doenças que afetam músculos, nervos e tendões dos membros superiores. Assim, entre as doenças incluídas na LER podemos citar tendinite, bursite, epicondilite, dedo em gatilho, síndrome do desfiladeiro torácico, síndrome do pronador redondo, mialgias. Esses distúrbios provocam dores e inflamações musculoesqueléticas e podem alterar a capacidade funcional da região comprometida.

A LER também é conhecida como DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho), LTC (Lesão por Trauma Cumulativo), AMERT (Afecções Musculares Relacionadas ao Trabalho) ou síndrome dos movimentos repetitivos. Certamente, a causa, como o último nome indica, vão desde esforços repetidos continuadamente ou que exigem muita força na sua execução, até vibração, postura inadequada e estresse. Essas lesões são muito comuns pessoas que trabalham com computadores, assim como digitadores, músicos, esportistas e pessoas que fazem trabalhos manuais como, por exemplo, tricô e crochê.

Cuide da sua saúde ocupacional e evite a LER

Os principais sintomas das Lesões por Esforço Repetitivo são: dor nos membros superiores e nos dedos, dificuldade para movimentá-los, formigamento, fadiga muscular, alteração da temperatura e da sensibilidade, redução na amplitude do movimento, inflamação. Contudo, para evitar a LER é importante tomar alguns cuidados durante o trabalho. Se você trabalha no computador, dê atenção especial à sua postura. Mantenha as costas sempre eretas e apoiadas em um encosto confortável. Os ombros devem estar relaxados e os punhos não podem ficar dobrados. Eventualmente faça pausas de hora em hora e alongue-se.

EPI’s modernos e elegantes garantem a saúde ocupacional

Os equipamentos de proteção individual também estão presente em atividades aparentemente inofensivas a fim de garantir a saúde ocupacional. E quando falamos de EPI’s não nos referimos somente aos capacetes, óculos de proteção e aventais impermeáveis.Você sabia que os calçados, além de ter papel fundamental na vida de qualquer pessoa, são equipamentos de proteção individual em diversas profissões? Nossos pés nos sustentam durante todo o dia de trabalho e por isso merecem estar o mais confortável possível para aguentar a jornada.

Isto é, não quer dizer que você terá que usar botinas ultra resistentes como aquelas utilizadas em canteiros de obras. Existem calçados ocupacionais para todo tipo de ambiente, inclusive para os que utilizam uma vestimenta mais social. Cada atividade exige um tipo de deslocamento dos funcionários. Quem trabalha em grandes indústrias se movimenta de um departamento a outro. Quem trabalha como guia em museus, por exemplo, passa o dia andando com os visitantes. Representantes de marca gastam a sola dos sapatos pelas ruas. São inúmeras as atividades que exigem conforto e elegância.

Saúde ocupacional e estilo com a linha London Safe Marluvas – Elegância e Segurança

Isso mesmo que você está lendo: a Marluvas possui uma linha de calçados sociais ocupacionais. Os calçados da linha London Safe são perfeitos para quem quer conforto e proteção para a saúde ocupacional, mas não abre mão de um visual elegante e discreto. Feitos em couro de alta qualidade e design refinado, esses calçados possuem palmilha especial Soft Confort. Um tipo de palmilha higiênica com propriedades antibacterianas, compostas de EVA e micropontos que proporcionam absorção e dessorção do suor. Sua temperatura corporal estará muito mais controlada e você vai se sentir confortável e seguro durante todo o dia.

Os solados da linha London Safe são confeccionados com tecnologia Bidensidade, com duas camadas de poliuretano (PU). A primeira camada é mais macia e leve, garantindo maior conforto ao usuário. Já a segunda camada é mais compacta, resistente a objetos cortantes, perfurantes e à abrasão. Essas características deixam o calçado muito mais confortável, ergonômico e com alta absorção de impacto. Ao utilizar calçados London Safe Marluvas seus clientes certamente vão notar sua elegância e seus pés vão agradecer a preocupação.

Ameaças à saúde ocupacional escondidas em escritórios e ambientes corporativos

Alguns dos riscos que colocam em jogo a saúde do trabalhador estão escondidos onde menos se espera. É preciso muito cuidado e atenção em qualquer atividade quando o assunto é saúde ocupacional. Nos escritórios, por exemplo, os riscos são os mais variados e muitas vezes passam despercebido, quer ver só?

Eletricidade

Sem dúvida os riscos de choques elétricos são muito mais comuns do que podemos imaginar. Todo local de trabalho que reúna um grupo de pessoas e alguns equipamentos possui uma régua de tomadas. Aquelas extensões com vários equipamentos ligados ao mesmo tempo. Antes de mais nada, além do risco de sobrecarga, que deve ser avaliado por um profissional eletricista, há também o risco de choque caso alguma tomada esteja mal encaixada.

Com o propósito de evitar acidentes com eletricidade é importante investir em identificação de voltagem para as tomadas, fios e cabos. Outra medida é manter os fios sempre organizados para que eles não embolem entre si e virem um emaranhado de riscos.

Quedas

Só para exemplificar, falta de atenção, pisos escorregadios, carpetes soltos e calçados inadequados são apenas alguns dos responsáveis pelas quedas no ambiente de trabalho. As quedas são um dos principais causadores de danos à saúde ocupacional. E além de atenção, é preciso organização para evitar esses acidentes. Por certo, para os carpetes é preciso manutenção periódica e para os pisos molhados é preciso respeitar a plaquinha e não passar pelo local até que esteja seco ou, quando for muito necessário, passar devagar e com cuidado redobrado.

Em locais sem carpete os pisos antiderrapantes são a melhor opção. Cuidado também com as escadas. Nada de descer e subir correndo e lembre-se sempre de segurar nos corrimãos, eles estão ali exatamente para te ajudar e proteger. A organização do ambiente é uma das melhores amigas da saúde ocupacional já que um espaço bagunçado é um prato cheio para acidentes.

Nunca deixe as portas dos armários abertas e evite empilhar caixas ou deixar objetos grandes próximos das portas e/ou espalhados pelos corredores. Essas medidas evitam tropeções e lesões por batidas. Deixar os corredores livres de obstáculos também colabora caso o ambiente tenha que ser evacuado às pressas.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#bota confortável #segurança do trabalhador

Marluvas: mais que uma fabricante de luvas e calçados

Marluvas: mais que uma fabricante de luvas e calçados

A Marluvas é muito mais do que uma fabricante de luvas e calçados de segurança, afinal. Além de entregar ao público esses dois equipamentos de proteção individual com a máxima excelência, a Marluvas se preocupa com o ser humano e com o ambiente em que está inserida. O ano de 2019 foi muito importante e significativo para a empresa pois ajudou a reafirmar todas essas constatações. Logo no início do ano a marca conquistou o TOP OF MIND na categoria calçados de proteção.

Marluvas mais que uma fabricante – TOP OF Mind

O Top Of Mind é um reconhecimento às marcas que são mais populares na mente dos consumidores (por isso o termo “mind” que significa mente em inglês). Por atuar no ramo de desenvolvimento e fabricação de calçados ocupacionais e EPI a Marluvas se enquadra no prêmio Top Of Mind de Proteção. A saber essa é a principal forma de reconhecimento para as empresas e instituições que atuam no setor de Saúde e Segurança do Trabalho brasileiro.

A bota de segurança no modelo 50B26 CB foi escolhida como “O Melhor Produto do Ano” e além disso a Marluvas recebeu também os prêmios “Proteção Brasil 2019” e “Anamaco 2019”. Aliás além dos prêmios conquistados diretamente pela marca a Marluvas também esteve presente na “A ‘Design Award & Competition”, maior prêmio de design do mundo. Odair José Ferro ganhou o Bronze Awards na categoria “Vestimenta e Equipamentos de Proteção Individual” com o desenho da bota Premier Plus.

Um ano de parcerias e recomeços para a Marluvas

Entretanto, o ano que passou serviu de recomeço para a Marluvas e em 2019 a empresa voltou às suas origens e recolocou as luvas no seu catálogo.Você sabia que a marca nasceu como uma fábrica de luvas mas descontinuou sua produção para se dedicar exclusivamente aos calçados?  A Marluvas nasceu em 1972, em Dores de Campos, Minas Gerais. Antônio Marcelo Arruda, com apenas 16 anos, fabricava luvas de proteção. O nome da marca é a junção das iniciais de Marcelo com a palavra luva.

Em 1976 a Marluvas, de olho nas demandas de mercado, passou a fabricar calçados de proteção. Quando começou a produzir calçados a empresa descontinuou a fabricação das luvas a fim de depositar todos os seus esforços em um único produto. Se o investimento deu certo ou não nós não precisamos nem dizer. A Marluvas fabrica calçados com as melhores tecnologias disponíveis no mercadoe está sempre em busca de se renovar e aperfeiçoar a fim de estar sempre um passo à frente das demandas do mercado.

Calçados de segurança para diferentes atividades

A marca conta com uma grande variedade de calçados de segurança em seu catálogo, tudo para atender aos mais diferentes tipos de atividades, por exemplo: trabalho em construção civil; modelos ocupacionais sociais para escritórios; modelos para atividades offshore; trakking; bombeiros; açougueiros; ambiente hospitalar e muitos outros.

Depois de consolidar o sucesso dos calçados e virar sinônimo de segurança, conforto e qualidade, a Marluvas enfim voltou a confeccionar luvas de proteção e oferecer mais um produto de extrema importância para a saúde e segurança do trabalhador. Contudo, as luvas são fabricadas em parceria com a empresa americana MCR Safety que tem 45 anos de história, é referência mundial no mercado de equipamentos de proteção individual e há dez anos está inserida no mercado brasileiro.

Marluvas é sinônimo de desenvolvimento

Com toda a certeza, além de consolidar sua qualidade e ampliar o catálogo de produtos a Marluvas inaugurou duas novas unidades em 2019. A primeira inauguração do ano foi realizada no município de Oliveira e a segunda em Campo Belo, ambos municípios de Minas Gerais. Com essa expansão a Marluvas chega a um total de dez unidades: Dores de Campos; Capitão Enéas; Piedade do Rio Grande; Cruzília; São Vicente de Minas; Minduri; Madre de Deus de Minas; Prados e as duas mais novas em Oliveira e Dores de Campos.

Falando em equipe a Marluvas se preocupa em prestigiar e celebrar seus colaboradores, afinal de conta são eles que movem a empresa. Durante o evento Master 2019 “Revelando a Nobreza da Marca” a marca premiou gestores, gerentes, representantes e clientes que se destacaram no ano de 2018. Ao mesmo tempo, no decorrer do ano três cargos ganharam caras novas: Pedro Arcara foi eleito o Diretor de Operações (CCO) da marca, Guilherme Batista é o novo Gerente Nacional de Vendas e Danilo Oliveira o novo Diretor de Marketing.

Marluvas mais que uma fabricante – Meio ambiente

Nesse meio tempo, além de se desenvolver internamente e buscar o desenvolvimento dos funcionários, a Marluvas também se preocupa com o meio ambiente no qual está inserida. Sabendo dos impactos causados pela atividade industrial a Marluvas tem como missão “produzir e comercializar calçados contribuindo com a segurança, saúde, conforto, lazer e produtividade de nossos clientes, respeitando o meio ambiente e colaborando com o crescimento da nossa comunidade”.

Dessa forma a empresa desenvolve uma série de projetos socioambientais internos e externos a fim de reduzir os impactos causados pelas atividades industriais. A empresa também firma parcerias com o mesmo objetivo. Em 2019 a Marluvas viabilizou um mutirão de castração de cães em Dores de Campos. O mutirão foi realizado pela AMADC – Associação Amigos dos Animais de Dores de Campo, associação que recolhe cachorros de rua, leva para o abrigo e posteriormente realiza a castração. A AMADC foi criada em 2013 e que atualmente é sediada em um espaço disponibilizado pela Marluvas.

Marluvas mais que uma fabricante – Educam

Outrossim, a Marluvas desenvolve também o Educam. Um projeto para conscientizar alunos de escolas públicas e particulares, em Dores de Campos e Capitão Enéas, sobre a importância de ações de proteção ambiental. O projeto incentiva atitudes voltadas à preservação e ao cuidado com a natureza por meio de palestras, mostras e diversas outras iniciativas. Dessa forma a empresa busca incentivar os alunos e as famílias a adotarem práticas capazes de contribuir para a conservação dos biomas brasileiros.

Por fim, internamente a Marluvas realiza a separação de todos os resíduos gerados no dia a dia da empresa. Eles são separados para aproveitar o que for possível e destinar corretamente o que não for. A empresa também conta com Estações de Tratamento de Esgoto – ETEs – em todas as unidades. Nessas estações são tratados os resíduos dos sanitários e lavatórios, com supervisão diária e análise físico-química de efetividade para assegurar o acompanhamento adequado.

Sem amigos a Marluvas não é nada

Em 2019 a Marluvas chegou a 100.000 curtidas no Facebook, mais do que clientes, a marca cultiva amigos.

#Indicca – Geração de Conteúdo

Segurança do trabalho e a saúde dos açougueiros

Segurança do trabalho e a saúde dos açougueiros

É certo que qualquer tipo de atividade demanda alguns cuidados com a saúde e com a segurança do trabalho de quem realiza. Dessa forma podemos concluir que o trabalho realizado em açougues é uma dessas atividades. O açougueiro está exposto à riscos físicos, químicos, mecânicos e também biológicos. Por este motivo a segurança do trabalho deve ser muito bem trabalhada neste ambiente para que a saúde e a segurança do indivíduo sejam preservadas ao máximo.

O que é a segurança do trabalho? Para você a segurança do trabalho consiste em um conjunto de profissionais zelando pela saúde do trabalhador? Então você precisa saber que a segurança do trabalho não se trata apenas de um conjunto de profissões, mas sim de uma ciência. Aliás, essa ciência é dedicada ao estudo da ocorrência dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais.

Ademais, identificadas as causas desses acidentes e doenças são desenvolvidas formas de preveni-los por meio da aplicação de medidas corretivas e preventivas. Enfim, para desempenhar esse papel, em prol da saúde, segurança e bem estar do trabalhador, a segurança do trabalho engloba o conhecimento de diversas áreas profissionais: medicina, engenharia, enfermagem, estatística, educação e outras.

Importância da segurança do trabalho em qualquer ambiente

Inegavelmente, manter um ambiente de trabalho seguro é garantir que a equipe irá desempenhar seus papéis com mais confiança e bem estar. Quando o colaborador trabalha em um ambiente como o descrito ele produz mais e melhor. Primordialmente, a empresa que se preocupa com a segurança do trabalho, atuando de forma preventiva, consegue diminuir consideravelmente os gastos com o tratamento e afastamento de funcionários doentes ou acidentados.

Entretanto, independente do segmento e do porte do empreendimento acreditamos na importância da realização do investimento em segurança do trabalho. A empresa pode contar apenas com um profissional da área ou com uma equipe de segurança do trabalho multidisciplinar. Em alguns casos essa ação é obrigatória, prevista em lei. O tamanho da equipe vai depender do número de funcionários e do grau de risco que ao qual a atividade expõe o trabalhador.

Riscos Trabalhador

Uma empresa que apresenta riscos considerados de grau 2 e que tenham mais de 1000 funcionários, por exemplo, precisam de um médico e um engenheiro do trabalho em tempo parcial, além de um técnico de segurança do trabalho e um auxiliar de enfermagem em tempo integral.Saiba como descobrir o grau de risco da sua empresa. A saber, as atividades da segurança do trabalho são regidas pela portaria número 3.214 do Ministério do Trabalho.

A partir daí foram estabelecidas as Normas Regulamentadoras (NR) que são compostas por 36 normas, decretos e leis. São essas normas que determinam o desenvolvimento das medidas de segurança em cada tipo de empresa bem como as sanções e penalidades a serem aplicadas em caso de atividade desenvolvida em desacordo com as leis.

Açougue e segurança do trabalho

Um açougue é um ambiente que oferece diversos riscos ao trabalhador e por isso deve dar atenção às recomendações da segurança do trabalho. Não por acaso esse tipo de atividade tem uma Norma Regulamentadora específica: NR36 – Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados.

“O objetivo desta Norma é estabelecer os requisitos mínimos para a avaliação, controle e monitoramento dos riscos existentes nas atividades desenvolvidas na indústria de abate e processamento de carnes e derivados destinados ao consumo humano, de forma a garantir permanentemente a segurança, a saúde e a qualidade de vida no trabalho, sem prejuízo da observância do disposto nas demais Normas Regulamentadoras – NR do Ministério do Trabalho e Emprego”.

Dessa forma a segurança do trabalho, em conformidade com a NR36, além de zelar pela segurança e pelo bem estar do colaborador, zela também pela qualidade dos produtos manipulados dentro do ambiente. E quais são os riscos presentes dentro de um açougue? Os riscos mais comuns e campeões em acidentes são as máquinas de corte e as facas. Sabemos que todo açougueiro tem que lidar com diversos tipos de lâminas diariamente e todas elas sempre muito afiadas.

Riscos no trabalho

Mas é bom saber e estar atento aos riscos menos populares e que muitas vezes não recebem devida atenção. Exemplos desses riscos são as câmaras frias e a exposição a agentes biológicos e químicos. Por fim, falando sobre as lâminas sabemos que elas podem causar acidentes graves e que em certos casos afastam o trabalhador das suas atividades de maneira permanente. As máquinas são de variados modelos e finalidades. Existem as máquinas para cortar ossos, as mais potentes e perigosas.

Segurança do trabalho

Outro tipo de máquina são os picadores de carne  e as facas também apresentam um nível elevado de periculosidade já que estão sempre muito afiadas. Todas essas máquinas possuem dispositivos de segurança, como protetores de lâminas, que devem ser usados obrigatoriamente. Outra máquina que, apesar de não possuir lâmina, apresenta risco ao trabalhador é a máquina de embalagem a vácuo.

As máquinas de embalagem a vácuo, apesar de não possuírem lâminas, são capazes de atingir temperaturas muito altas quando estão em funcionamento. Se o colaborador não toma o devido cuidado durante o manuseio pode acabar tendo ferimentos graves. A NR36 também traz uma série de recomendações para o manuseio das máquinas. Utilizar luva é uma dessas recomendações.

Segurança do trabalho: calçados, luvas e vestimentas em açougue

Ainda assim, além das luvas a segurança do trabalho determina que os açougueiros utilizem alguns outros equipamentos de proteção individual como vestimentas e calçados específicos. Aventais feitos de material impermeável vão manter o açougueiro seco e suas roupas limpas por mais tempo. é importante que as roupas utilizadas sejam de cores claras. Para entrar nas câmaras frias são necessários casaco, luvas e calçados térmicos.

Mesmo aqueles que não estão em câmara fria, mas estão em ambiente de manuseio com baixa temperatura, devem usar vestimentas específicas para manutenção da temperatura corporal. O calçado deve ser impermeável e antiderrapante em todos os ambientes. Calçados fabricados em PVC são ideais: protegem do contato com carnes, óleos, produtos químicos levemente alcalinos e líquidos em geral, além de serem resistente ao escorregamento em pisos de cerâmica e aço, impermeáveis e extremamente confortáveis.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#epi #equipamentos de proteção individual #botas de segurança #galocha

A importância dos equipamentos de proteção individual

A importância dos equipamentos de proteção individual

(…) “Considera-se Equipamentos de Proteção Individual – EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e saúde no trabalho. Entende-se como Equipamento Conjugado de Proteção Individual, todo aquele composto por vários dispositivos, que o fabricante tenha associado contra um ou mais riscos que possam ocorrer simultaneamente e que sejam suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho”.

Dessa forma que a NR6 define os equipamentos de proteção individual. A saber a NR6, Norma Regulamentadora número 6, é a lei que torna obrigatória a utilização dos EPI’s quando o ambiente em que o trabalhador se encontra ofereça algum risco à sua saúde e segurança. A NR6 determina ainda a obrigatoriedade de fornecimento dos equipamentos, de forma totalmente gratuita, por parte do empregador.

Decerto os EPI’s são destinados à proteção individual do trabalhador na realização das mais diversas atividades. Dentro da extensa lista de equipamentos de proteção individual existentes podemos citar os óculos, jalecos, luvas, calçados, capacetes entre outros. Vale ressaltar que os EPI’s só são utilizados quando as medidas coletivas de segurança não são capazes de eliminar por completo todos os riscos à saúde do trabalhador.

Além disso diminui a incidência dos acidentes de trabalho e evita consequências mais graves, a utilização dos equipamentos de proteção individual também serve para evitar a exposição às doenças ocupacionais. As doenças ocupacionais geralmente são consequências dos esforços/movimentos realizados de forma contínua e repetitiva e podem comprometer a capacidade de trabalho e até mesmo a vida pessoal do trabalhador.

Quais equipamentos de proteção individual fornecer ao colaborador?

Você sabe como escolher corretamente o EPI? Com toda a certeza cada atividade possui uma série diferente de riscos e para cada um deles há equipamentos de proteção individual específicos. Por isso é importante que o empregador, auxiliado por um profissional de segurança do trabalho, realize um estudo dos riscos ocupacionais presentes em sua empresa. Esse estudo vai ajudar a identificar quais são os perigos existentes e quais medidas, coletivas e individuais, devem ser tomadas.

O anexo I da NR6 traz uma lista dos equipamentos de proteção individualexistentes. Eles estão categorizados de acordo com a parte do corpo à qual se destina e também em subcategorias tipo/nível de proteção oferecida. As categorias são:

Equipamentos de proteção individual
  1. EPI para a proteção da cabeça
  2. EPI para a proteção dos olhos e face
  3. EPI para a proteção auditiva
  4. EPI para a proteção respiratória
  5. EPI para a proteção do tronco
  6. EPI para a proteção dos membros superiores
  7. EPI para a proteção dos membros inferiores
  8. EPI para a proteção do corpo inteiro
  9. EPI para a proteção contra quedas em diferença de nível

Os EPI’s fornecidos pelo empregador devem ser escolhidos de maneira correta além de estar em perfeito estado. Cabe ao colaborador zelar pela manutenção dos mesmos. Os equipamentos de proteção individual devem ser utilizados da forma correta e somente dentro do período de expediente. É importante que o empregador oriente quanto à utilização e manutenção dos equipamentos. São obrigações do empregador quanto ao EPI de acordo com a NR6:

Obrigações empregador NR6

a) adquirir o adequado ao risco de cada atividade;

b) exigir seu uso;

c) fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho;

d) orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação;

e) substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;

f) responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica; e,

g) comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada.

h) registrar o seu fornecimento ao trabalhador, podendo ser adotados livros, fichas ou sistema eletrônico.

São obrigações do empregado quanto ao EPI de acordo com a NR6:

a) Não apenas usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina;

b) Como também responsabilizar-se pela guarda e conservação;

c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso; e,

d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado. 

Incentive o uso dos equipamentos de proteção individual

No entanto algumas empresas encontram resistência do colaborador na utilização dos equipamentos de proteção individual. Isso porque alguns modelos de EPI’s realmente não são democráticos em relação aos diversos formatos de corpos existentes. Todavia o empregador deve se preocupar com esse fator no momento da aquisição e procurar por fabricantes que, além da proteção, se preocupem também com o conforto do trabalhador.

Ainda assim é importante implementar a cultura de uso dos EPI’s. Por exemplo, uma empresa de grande porte pode utilizar a CIPA para incentivar o uso dos equipamentos de proteção. A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes é um grupo formado por representantes de cada setor da empresa. O objetivo do grupo é promover a segurança e a saúde dos funcionários de forma preventiva, realizando ações contra acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

CIPA – Mapeando Riscos

A CIPA participa do mapeamento dos riscos, promove encontros periódicos para avaliar a segurança e os procedimentos da empresa, mantém os colaboradores informados sobre tudo que possa interferir na sua saúde e segurança, além de poder intervir sempre que julgar necessário. Dessa forma toda irregularidade e qualquer questão relacionada aos equipamentos de proteção individual são avaliadas pelos membros da CIPA a fim de que sejam tomadas as devidas providências.

De fato outra alternativa, perfeita para empresas de pequeno e médio porte, é a realização de treinamentos periódicos sobre os procedimentos de trabalho e utilização dos EPI’s. Estes treinamentos podem ser realizados em formatos menores e maiores:

  • Por exemplo diálogos sobre Segurança realizados, geralmente, antes do início das atividades. Pois essas pequenas palestras costumam durar em torno de quinze minutos e seu objetivo é alertar os trabalhadores sobre os riscos das tarefas que serão realizadas e também sobre as medidas de prevenção relacionadas.
  • Em segundo lugar as palestras maiores costumam virar um evento sobre saúde e segurança e podem ser realizadas dentro ou fora do ambiente de trabalho. Só que neste caso as informações são mais extensas e detalhadas e demandam uma organização mais elaborada. Podem ser realizadas mensalmente ou de acordo com a necessidade.
  • Por fim existe ainda a realização anual da SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes. Uma campanha obrigatória, de acordo com a portaria n.º 3.214 da Legislação Trabalhista, que visa conscientizar os funcionários sobre os riscos inerentes à sua atividade. A SIPAT engloba palestras, dinâmicas e dramatizações teatrais.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#epi #botas de segurança #luvas de proteção

Bombeiro civil: conheça os riscos da profissão e se proteja corretamente

Bombeiro civil: conheça os riscos da profissão e se proteja corretamente

A profissão de bombeiro civil é regulamentada pela Lei Federal nº 11.901/09 (sancionada em janeiro de 2009). Uma informação importante sobre a profissão é que a atuação dos bombeiros civis é diferente da dos bombeiros militares. (vamos falar sobre os riscos da profissão de bombeiro civil). Os primeiros atuam de forma particular, como empregados contratados por quaisquer tipo de empresas (públicas e privadas). Enquanto isso, os bombeiros militares prestam serviço público à sociedade.

Bombeiros militares estão associados às forças armadas e suas principais funções são o combate à incêndios, situações de pânico, busca e salvamento de pessoas e defesa civil. Bem como, o bombeiro civil atua principalmente na prevenção dos riscos de incêndio, entre outros, realizando a identificação dos mesmos e mapeando formas de evitá-los. Todavia quando ocorre algum tipo de fatalidade o bombeiro civil age de acordo com os protocolos previamente estabelecidos, a fim de minimizar os danos e buscando reverter a situação.

Protocolos

Dessa forma, dentro das ações do protocolo do profissional civil está o acionamento dos colegas militares na hora certa. Assim, algumas das atribuições do bombeiro civil: inspecionar periodicamente os equipamentos de combate a incêndio; inspecionar as rotas de fuga, incluindo a sua liberação e sinalização; promover e participar de exercícios simulados; registrar as irregularidades encontradas apresentando propostas e medidas corretivas.

O bombeiro civil passa por um processo de formação envolvendo treinamentos específicos. A duração das atividades é de mais ou menos um mês quando realizado de forma ininterrupta.

Por dentro da rotina do bombeiro civil

Além de agir de forma técnica, avaliando todos os pontos críticos, e orientando a fim de minimizar ou inibir os riscos relacionados à segurança contra incêndio, o bombeiro civil também realiza a gestão dos equipamentos de segurança contra incêndios. Portanto o profissional precisa ter um amplo conhecimento de gestão dos equipamentos e dos sistemas de combate a incêndios. Isso para que ele atue de forma correta e eficaz no momento da ocupação de qualquer edificação ou planta.

Ademais cabe ao bombeiro civil realizar a liberação do projeto de edificação antes da ocupação do mesmo. Essa atitude configura uma medida de proteção. Depois disso sua atuação será no cuidado da área ocupada. São diversos os equipamentos que compõem um sistema de segurança contra incêndios. O ideal é que o bombeiro civil aprofunde seus conhecimentos sobre esses equipamentos a fim de orientar o gerenciamento dos mesmos e manter todos eles funcionando de forma correta.

Equipamentos

A saber extintores de incêndio, hidrantes e mangotinhos, chuveiros automáticos (aqueles de teto), sinalização e iluminação especial, sistema de detecção e alarme e saídas de emergência (incluindo rotas de fuga). Enfim todos esses equipamentos fazem parte do sistema de segurança contra incêndios que deve ser administrado pelo bombeiro civil.

Certamente, empresas grandes, locais como shoppings, hospitais, igrejas, universidades e qualquer tipo de evento com grande movimentação de pessoas como casas de show e estádios de futebol, precisam da presença de um bombeiro civil. Mesmo nos eventos realizados em locais totalmente abertos é recomendada presença desse profissional. A quantidade de bombeiros que deve estar presente varia de acordo com cada caso.

Antes de tudo é preciso avaliar os riscos existentes e sua gravidade para determinar o tamanho da equipe. A norma regulamentadora – ABNT NBR 14608 orienta sobre como essa avaliação deve ser feita.

Quais atividades deverão ser executadas pelo bombeiro civil? ( Riscos da profissão de bombeiro civil)

a) atividades de inspeção de segurança;

b) primeiros socorros e/ou atendimentos pré-hospitalares de emergências médicas;

c) atendimentos de resgate técnico (altura, espaços confinados etc.);

d) atendimentos de prevenção e controle de incêndios;

e) atendimentos a emergências com produtos perigosos;

f) atividades para o abandono de áreas;

g) atividades de ensino de educação continuada para o público interno.

Análise Ambiente

Devem ser realizadas também uma série de análises sobre o ambiente de atuação

a) análise das situações que podem oferecer riscos para a vida da população da planta;

b) análise dos principais potenciais de danos ambientais por consequência de acidentes e/ou incêndios na planta;

c) análise dos principais potenciais de perdas de propriedades por consequência de acidentes e/ou incêndios na planta;

d) análise dos tipos de viaturas que podem ser empregados e a composição da tripulação de acordo com as ABNT NBR 14561 e ABNT NBR 14096;

e) procedimentos operacionais empregados como padrão para os atendimentos às emergências;

f) tipos de equipamentos e recursos materiais empregados nos atendimentos às emergências;

g) localizações e disposições das equipes e dos armários da brigada para garantir o tempo de resposta adequado conforme a sua área de abrangência na planta.

Saúde e segurança do profissional bombeiro civil (Riscos da profissão de bombeiro civil)

Apesar de realizar trabalhos mais técnicos, o bombeiro civil, precisa estar devidamente preparado e protegido para eventualidades. A ABNT NBR 14608 regulamenta também os equipamentos de proteção individual que devem ser utilizados por estes profissionais.

a) vestimenta completa com jaqueta e calça (específico para atividades bombeiros);

b) balaclava (específico para atividades bombeiros);

c) capacete com proteção para os olhos e/ou face (específico para atividades bombeiros);

d) luvas (específico para atividades bombeiros);

e) botas (específico para atividades bombeiros).

Sobretudo todos os equipamentos de proteção individual utilizados pelos bombeiros civis devem ser impermeáveis e também resistentes ao fogo. Por certo, quando dizemos “todos os equipamentos” estamos incluindo as luvas e os calçados. Os modelos ideais de calçados para contato com altas temperaturas devem ser confeccionados em couro com tratamento anti chamas.

Produtos Marluvas

Com toda a certeza é imprescindível ainda que os calçados sejam confortáveis, possuindo solado com absorção de impacto e palmilhas anatômicas. Além disso a forração interna tem que impermeável e permitir o controle de temperatura corporal por meio da transpiração. As luvas utilizadas em contato com o fogo também devem ser confeccionadas com tratamentos e tecnologias especiais a fim de proteger o profissional contra qualquer risco.

A luva Weld, da Marluvas, é confeccionada em couro com tratamento especial, costuras em aramida e forração térmica para extremo conforto. De fato o desgin cuidadosamente desenvolvido para o melhor desempenho em atividades que demandem proteção a chamas, calor por contato ou radiante, além de respingos de metal. Punho de segurança de saque rápido.

Por fim, o investimento em equipamentos de proteção com qualidade aumentam a segurança do trabalhador, seu conforto durante o período de uso e consequentemente os resultados do trabalho. Por exemplo, o bombeiro civil trabalha prestando serviços relacionados à segurança e integridade física da sociedade, portanto merece receber toda atenção e cuidado também com a sua saúde e conforto durante o exercício da sua função.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#bota impermeável #luva impermeável #epi #produtos marluvas