“Eu sou engenheiro mas não frequento o canteiro de obras, meu trabalho é feito integralmente no escritório” (elegância e segurança). “Esse negócio de segurança do trabalho é só pra quem realiza atividade braçal”. “Trabalho em frente ao computador, não vou me machucar, não precisa ficar falando de saúde ocupacional ”.

A saber essas frases ilustram os pensamentos da maioria das pessoas que trabalham em escritórios e ambientes onde o trabalho é mais administrativo como consultórios particulares e outros. Para muitos desses profissionais os riscos de acidente e as ameaças à saúde ocupacional são exclusividade dos trabalhos braçais e de ambientes onde o perigo de acidente e/ou contaminação são explícitos, como um hospital ou um açougue, por exemplo.


É importante que todos os que pensam dessa forma tomem conhecimento da realidade em que estão inseridos dos riscos que ela esconde. A saúde ocupacional deve ser motivo de atenção em todo lugar, inclusive em um escritório de advocacia. Todavia uma pessoa que passa o dia inteiro sentada na frente do computador lendo, digitando, recebendo e despachando documentos importantes deve tomar cuidado com algumas doenças ocupacionais como a LER.

LER (Lesão por Esforço Repetitivo)

A LER (Lesão por Esforço Repetitivo) não é uma doença específica e sim um conjunto de doenças que afetam músculos, nervos e tendões dos membros superiores. Assim, entre as doenças incluídas na LER podemos citar tendinite, bursite, epicondilite, dedo em gatilho, síndrome do desfiladeiro torácico, síndrome do pronador redondo, mialgias. Esses distúrbios provocam dores e inflamações musculoesqueléticas e podem alterar a capacidade funcional da região comprometida.

A LER também é conhecida como DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho), LTC (Lesão por Trauma Cumulativo), AMERT (Afecções Musculares Relacionadas ao Trabalho) ou síndrome dos movimentos repetitivos. Certamente, a causa, como o último nome indica, vão desde esforços repetidos continuadamente ou que exigem muita força na sua execução, até vibração, postura inadequada e estresse. Essas lesões são muito comuns pessoas que trabalham com computadores, assim como digitadores, músicos, esportistas e pessoas que fazem trabalhos manuais como, por exemplo, tricô e crochê.

Cuide da sua saúde ocupacional e evite a LER

Os principais sintomas das Lesões por Esforço Repetitivo são: dor nos membros superiores e nos dedos, dificuldade para movimentá-los, formigamento, fadiga muscular, alteração da temperatura e da sensibilidade, redução na amplitude do movimento, inflamação. Contudo, para evitar a LER é importante tomar alguns cuidados durante o trabalho. Se você trabalha no computador, dê atenção especial à sua postura. Mantenha as costas sempre eretas e apoiadas em um encosto confortável. Os ombros devem estar relaxados e os punhos não podem ficar dobrados. Eventualmente faça pausas de hora em hora e alongue-se.

EPI’s modernos e elegantes garantem a saúde ocupacional

Os equipamentos de proteção individual também estão presente em atividades aparentemente inofensivas a fim de garantir a saúde ocupacional. E quando falamos de EPI’s não nos referimos somente aos capacetes, óculos de proteção e aventais impermeáveis.Você sabia que os calçados, além de ter papel fundamental na vida de qualquer pessoa, são equipamentos de proteção individual em diversas profissões? Nossos pés nos sustentam durante todo o dia de trabalho e por isso merecem estar o mais confortável possível para aguentar a jornada.

Isto é, não quer dizer que você terá que usar botinas ultra resistentes como aquelas utilizadas em canteiros de obras. Existem calçados ocupacionais para todo tipo de ambiente, inclusive para os que utilizam uma vestimenta mais social. Cada atividade exige um tipo de deslocamento dos funcionários. Quem trabalha em grandes indústrias se movimenta de um departamento a outro. Quem trabalha como guia em museus, por exemplo, passa o dia andando com os visitantes. Representantes de marca gastam a sola dos sapatos pelas ruas. São inúmeras as atividades que exigem conforto e elegância.

Saúde ocupacional e estilo com a linha London Safe Marluvas – Elegância e Segurança

Isso mesmo que você está lendo: a Marluvas possui uma linha de calçados sociais ocupacionais. Os calçados da linha London Safe são perfeitos para quem quer conforto e proteção para a saúde ocupacional, mas não abre mão de um visual elegante e discreto. Feitos em couro de alta qualidade e design refinado, esses calçados possuem palmilha especial Soft Confort. Um tipo de palmilha higiênica com propriedades antibacterianas, compostas de EVA e micropontos que proporcionam absorção e dessorção do suor. Sua temperatura corporal estará muito mais controlada e você vai se sentir confortável e seguro durante todo o dia.

Os solados da linha London Safe são confeccionados com tecnologia Bidensidade, com duas camadas de poliuretano (PU). A primeira camada é mais macia e leve, garantindo maior conforto ao usuário. Já a segunda camada é mais compacta, resistente a objetos cortantes, perfurantes e à abrasão. Essas características deixam o calçado muito mais confortável, ergonômico e com alta absorção de impacto. Ao utilizar calçados London Safe Marluvas seus clientes certamente vão notar sua elegância e seus pés vão agradecer a preocupação.

Ameaças à saúde ocupacional escondidas em escritórios e ambientes corporativos

Alguns dos riscos que colocam em jogo a saúde do trabalhador estão escondidos onde menos se espera. É preciso muito cuidado e atenção em qualquer atividade quando o assunto é saúde ocupacional. Nos escritórios, por exemplo, os riscos são os mais variados e muitas vezes passam despercebido, quer ver só?

Eletricidade

Sem dúvida os riscos de choques elétricos são muito mais comuns do que podemos imaginar. Todo local de trabalho que reúna um grupo de pessoas e alguns equipamentos possui uma régua de tomadas. Aquelas extensões com vários equipamentos ligados ao mesmo tempo. Antes de mais nada, além do risco de sobrecarga, que deve ser avaliado por um profissional eletricista, há também o risco de choque caso alguma tomada esteja mal encaixada.

Com o propósito de evitar acidentes com eletricidade é importante investir em identificação de voltagem para as tomadas, fios e cabos. Outra medida é manter os fios sempre organizados para que eles não embolem entre si e virem um emaranhado de riscos.

Quedas

Só para exemplificar, falta de atenção, pisos escorregadios, carpetes soltos e calçados inadequados são apenas alguns dos responsáveis pelas quedas no ambiente de trabalho. As quedas são um dos principais causadores de danos à saúde ocupacional. E além de atenção, é preciso organização para evitar esses acidentes. Por certo, para os carpetes é preciso manutenção periódica e para os pisos molhados é preciso respeitar a plaquinha e não passar pelo local até que esteja seco ou, quando for muito necessário, passar devagar e com cuidado redobrado.

Em locais sem carpete os pisos antiderrapantes são a melhor opção. Cuidado também com as escadas. Nada de descer e subir correndo e lembre-se sempre de segurar nos corrimãos, eles estão ali exatamente para te ajudar e proteger. A organização do ambiente é uma das melhores amigas da saúde ocupacional já que um espaço bagunçado é um prato cheio para acidentes.

Nunca deixe as portas dos armários abertas e evite empilhar caixas ou deixar objetos grandes próximos das portas e/ou espalhados pelos corredores. Essas medidas evitam tropeções e lesões por batidas. Deixar os corredores livres de obstáculos também colabora caso o ambiente tenha que ser evacuado às pressas.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#bota confortável #segurança do trabalhador