Você sabe o que é um EPC? Aqui no blog falamos muito sobre a obrigatoriedade de uso, a diversidade e a aplicação dos Equipamentos de Proteção Individual em diversas atividades. No entanto é preciso ressaltar também a importância dos Equipamentos de Proteção Coletiva. Os EPC’s são tão importantes quanto os EPI’s e, dentro de um ambiente de trabalho com riscos, devem ter prioridade de implementação. Continue lendo para saber mais sobre EPC e proteger (ou exigir proteção) corretamente.

Um ambiente de trabalho seguro e confortável elimina riscos e diminui a incidência de acidentes, favorece a produção do trabalhador e, consequentemente, aumenta o faturamento de qualquer empresa. Além do aumento na receita por produtividade, a empresa que adota medidas coletivas e individuais de proteção, está em dia com a lei e não tem que se preocupar com multas e suspensão das atividades.

O primeiro passo para um ambiente de trabalho seguro, e com todos benefícios citados, é a implementação dos EPCs necessários para realização das atividades desempenhadas.

O que é um EPC?

Um EPC, Equipamento de Proteção Coletiva, é um equipamento capaz de proteger os trabalhadores, de forma coletiva, contra os riscos das atividades desempenhadas. Estes equipamentos são capazes de proteger grupos de trabalhadores e não apenas uma pessoa de forma individual como no caso do EPI. O EPC geralmente é parte da infraestrutura do ambiente de trabalho e sua aplicação é obrigatória por parte do empregador.

Sendo assim, podemos dizer que os objetivos dos Equipamentos de Proteção Coletiva são: reduzir, e sempre que possível, anular os riscos de acidente de trabalho que são comuns a todos os trabalhadores de um mesmo local. Consequentemente o EPC protege não só os trabalhadores como também qualquer pessoa que esteja circulando dentro do ambiente de trabalho. O EPC minimiza acidentes, perdas e aumenta a produtividade por meio da garantia de um local de trabalho muito mais seguro e saudável.

Os Equipamentos de Proteção Coletiva podem ser fixos ou móveis e, ao contrário dos nossos conhecidos Equipamentos de Proteção Individual, fornecem proteção a mais de um trabalhador ao mesmo tempo. Vamos aos exemplos práticos de tipos de EPCs existentes?

Conheça alguns dos EPCs mais comuns

Os Equipamentos de Proteção Coletiva, assim como os Equipamentos de Proteção Individual, devem ser adequados sempre às necessidades do ambiente de trabalho. Dessa forma existe uma variedade imensa de EPC para os mais variados tipos de atividades. Abaixo listamos alguns equipamentos diversos, mas comuns dentro das atividades para as quais são indicados.

  • Em primeiro lugar está o Kit de primeiros socorros: os kits de primeiros socorros devem estar presentes em basicamente todos os ambientes de trabalho. As caixinhas devem possuir todos os itens básicos e necessários para realização de pequenos curativos e para um primeiro atendimento em caso de acidente. Quando for o caso de atividades envolvendo materiais de risco químico, biológico ou radioativo, são necessários produtos e equipamentos de primeiros socorros específicos;
  • Chuveiros de emergência, lava-olhos, etc.: para atividades com risco de vazamento de produtos químicos nocivos à saúde humana;
  • Em terceiro lugar, Capela Química: essencial para atividades desempenhadas em locais que são manuseados produtos químicos. A Capela Química protege o operador contra uma possível inalação de substâncias ou contaminação no ambiente;
  • Exaustores, sistemas de ventilação e de controle de temperatura: a instalação desses EPCs são imprescindíveis nos locais em que o trabalhador é exposto a temperaturas elevadas em ambientes fechados;

Mais alguns EPCs

  • Detectores de fumaça e Sprinkles: devem ser usados em qualquer local comercial, industrial, esportivo, etc., para as situações de emergência em caso de incêndio;
  • Redes de proteção, guarda corpo e corrimão: muito comuns em ambientes como o da construção civil, evitam o risco de queda dos trabalhadores e também de objetos capazes de atingir trabalhadores que estejam desempenhando atividades em níveis mais baixos;
  • Por fim, sinalização (Cones, placas, etc): materiais utilizados para sinalizar e chamar a atenção do trabalhador para qualquer possível risco no ambiente: buraco, piso escorregadio, local de acesso restrito, perigo de contato com substância nociva, instruções sobre tempo de permanência no ambiente e outros.

A implementação do EPC é responsabilidade do empregador e a NR9 é a norma que trata sobre a implementação dos mecanismos necessários para eliminação de riscos no ambiente de trabalho. A NR9 orienta como deve ser elaborado e implementado o PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. O PPRA é o documento responsável pela segurança do ambiente de trabalho.

O PPRA, de acordo com a NR9, consistevisa a “preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais”.

Sobre os Equipamentos de Proteção Coletivas, a Norma Regulamentadora 9 diz que:

O estudo, desenvolvimento e implantação de medidas de proteção coletiva deverá obedecer à seguinte hierarquia: a) medidas que eliminam ou reduzam a utilização ou a formação de agentes prejudiciais à saúde; b) medidas que previnam a liberação ou disseminação desses agentes no ambiente de trabalho; c) medidas que reduzam os níveis ou a concentração desses agentes no ambiente de trabalho”.

“A implantação de medidas de caráter coletivo deverá ser acompanhada de treinamento dos trabalhadores quanto os procedimentos que assegurem a sua eficiência e de informação sobre as eventuais limitações de proteção que ofereçam”.

A Norma prevê ainda que enquanto os EPCs se encontram em fase de análise, quando sua implementação é inviável e/ou quando eles são comprovadamente insuficientes, devem ser utilizados outros mecanismos de proteção como: medidas de caráter administrativo ou de organização do trabalho; utilização de equipamento de proteção individual – EPI.

Dê devida importância ao EPC e melhore seu ambiente de trabalho

O uso correto do EPC, assim como do EPI e outras medidas de prevenção, reduz de forma considerável o número de afastamentos por acidentes e doenças ocupacionais, evita multas, aumenta a produtividade e traz qualidade de vida para o trabalhador. O EPC é vantajoso pois possui baixo custo quando comparado aos prejuízos por acidentes e afastamentos. O EPC é um equipamento de uso contínuo e constante, muitas vezes necessitam apenas uma instalação e permanecem ali por anos.

O trabalhador não pode negligenciar ou fazer uso inadequado do equipamento, já que o mesmo será instalado diretamente no ambiente. Vale lembrar que caso haja constatação da ausência de qualquer EPC após a ocorrência de um acidente, a empresa será responsabilizada e sofrerá consequências legais por conta da falha. A saúde e o bem-estar do trabalhador devem ser prioridade em qualquer local de trabalho. O desempenho da sua empresa depende dele.

#Indicca – Geração de Conteúdo