Sobretudo, se você costuma acompanhar o blog Marluvas, com certeza já se deparou com o tema “segurança do trabalho”. A segurança do trabalho se refere a todas as medidas tomadas para garantir a saúde física e mental de qualquer profissional, de modo a prevenir acidentes e promover o conforto e a segurança de todos os colaboradores de uma empresa, instituição ou órgão público. Assim sendo, a preocupação com o assunto é primordial, seja qual for o serviço ou o ambiente de trabalho. Entretanto, devido aos riscos, certas profissões requerem cuidados maiores quando o assunto é segurança do trabalho. Nesse contexto, estão os profissionais que lidam com eletricidade. Vamos falar sobre se proteger dos riscos elétricos.

Ao falar em eletricidade, a primeira coisa que vem à mente são os choques. De fato, eles representam um dos maiores riscos para quem trabalha em ambientes elétricos, sendo que boa parte dos cuidados tomados por tais profissionais são voltados à prevenção desse tipo de acidente. Mas, antes de explicarmos quais são as principais medidas de segurança necessárias nesses ambientes, vamos elucidar a que tipo de riscos os profissionais que lidam com eletricidade estão expostos.

Riscos Elétricos

Todavia, o choque elétrico é o principal risco para quem lida com eletricidade. Conforme a Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade), em 2018 ocorreram mais de 1.400 acidentes de origem elétrica, sendo 59% devido a choques, 38% oriundos de incêndios por sobrecarga e 3% causados por raios. Além disso, a pesquisa mostrou que, de cerca de 840 acidentes por choques no ano de 2018, aproximadamente 620 foram fatais. A região Nordeste possui o maior índice de acidentes, seguida pela região Sudeste.

Consequências

Inegavelmente, as consequências de um choque variam conforme a intensidade da corrente elétrica e o caminho que essa corrente percorre no corpo. Se a corrente atinge órgãos vitais, como o coração e o pulmão, a probabilidade de as consequências serem graves é bem maior. Os músculos da região peitoral, por exemplo, podem se contrair e interromper a respiração, enquanto o coração pode sofrer fibrilação (batimentos cardíacos rápidos e irregulares). Desse modo, podem ocorrer paradas cardíacas e respiratórias, que, possivelmente, são fatais. Além disso, as queimaduras também são consequências comuns de choques elétricos. A sobrecarga leva ao aquecimento, o que pode ocasionar incêndios em redes elétricas. Quando a sobrecarga elétrica acontece no corpo humano, também há aquecimento, causando queimaduras em tecidos e órgãos. E os riscos não param por aí: os profissionais que trabalham em redes de alta tensão estão, ainda, sujeitos a quedas, devido à altura dessas redes.

Dessa forma, é possível perceber a importância da segurança do trabalho para profissionais que executam serviços em ambientes elétricos. Se já precisamos tomar cuidado diariamente com alguns detalhes, como gambiarras elétricas, fios desencapados e tomadas sobrecarregadas por muitas conexões, imagine quem lida com altas tensões. Sendo assim, para orientar a proteção desses e de outros trabalhadores, o governo federal instituiu as Normas Regulamentadoras (NRs), que contêm todas as medidas de segurança determinadas por lei para cada segmento profissional.

Normas Regulamentadoras

De acordo com as Normas Regulamentadoras, é a NR-10 que define as diretrizes específicas para a segurança em ambientes elétricos. Existem medidas de proteção individual e coletiva, como o desligamento da rede elétrica antes de manutenções, o estabelecimento da tensão de segurança (tensão mínima que não apresenta riscos, utilizada quando não é possível desligar totalmente a rede) e o aterramento (diminuição da diferença de potencial para evitar choques).

A NR-10 institui que os EPIs para profissionais que lidam com eletricidade devem estar de acordo com o que é estipulado pela NR-6, além de as vestimentas e os equipamentos contemplarem a condutibilidade, a inflamabilidade e as influências eletromagnéticas. De conformidade com a NR-6, a mesma estabelece as diretrizes para utilização de equipamentos de proteção individual (EPIs), os quais são responsáveis pela proteção de cada trabalhador em caso de acidentes. Dentre os EPIs estão capacetes, luvas, cordas de sustentação e, é claro, calçados de segurança.

Equipamentos de proteção individual

A segurança do trabalho busca a adoção de medidas que possam prevenir acidentes, mas também que sejam capazes de minimizar os danos à saúde do trabalhador caso esses acidentes ocorram. Por isso, quem lida com eletricidade deve utilizar roupas e calçados isolantes, para que, em caso de descargas elétricas, o profissional não seja afetado pela corrente, evitando o choque. Luvas e mangas isolantes também são indicadas. Além disso, para a manutenção de redes de alta tensão, geralmente feita em grandes alturas, deve-se contar com cordas isolantes de sustentação, que oferecem proteção em caso de choques, ao mesmo tempo em que fornecem segurança contra quedas.

Outrossim, pensando no conforto e na segurança daqueles que estão diretamente em contato com a eletricidade, a Marluvas desenvolveu linhas que atendem às diretrizes de segurança das Normas Regulamentadoras. A Linha Composite possui calçados isolantes para até 500 Volts em condições secas (classe I), com resistência mecânica e ao calor. As biqueiras, atendendo à NR-10, são de composite, ou seja, não são metálicas e, portanto, não conduzem eletricidade.

Linhas em PVC

Já a linha All Work possui botas em PVC, com isolamento elétrico para até 500 Volts, capazes de oferecer proteção contra riscos elétricos também em áreas molhadas (classe II). Além de calçados isolantes e impermeáveis, a linha All Work conta com botas de solado antiderrapante, o qual é, ainda, mais resistente a objetos cortantes, perfurantes e à abrasão. A linha possui calçados com e sem biqueira de aço. Mas, seguindo a Norma Regulamentadora 10, o ideal para trabalhos que envolvam eletricidade são os calçados sem biqueiras ou quaisquer outros componentes metálicos. Dessa forma, escolha os modelos da linha sem as biqueiras metálicas que ajudam a proteger dos riscos elétricos.

Conheça essas e outras linhas Marluvas e escolha o calçado que melhor se adequa às suas necessidades. E lembre-se: a segurança deve sempre vir em primeiro lugar. Primordialmente, se proteger dos riscos elétricos. Por isso, não deixe a segurança do trabalho de lado e invista no que há de melhor para seu conforto e bem-estar.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#galocha #botas de segurança # segurança do trabalho #calçados pvc