Ultimamente temos falado bastante sobre a saúde e segurança no trabalho e certamente a importância dos calçados enquanto equipamentos de proteção individual. Isso porque o calçado é um EPI que abrange uma grande diversidade de atividades. Os pés sustentam os trabalhadores durante longas jornadas de trabalho e, além de muito conforto, determinadas situações demandam um nível elevado de proteção.

Trabalhadores de setores alimentícios e da área da saúde, por exemplo, têm a necessidade de utilizar calçados confortáveis, impermeáveis, antiderrapantes e que não se danifiquem em contato com produtos químicos. Esses profissionais geralmente passam o dia se movimentando sob pisos molhados e escorregadios, além de lidar com produtos de limpeza e outras substâncias capazes de danificar alguns materiais.

Saúde e segurança no trabalho

Enquanto isso os colaboradores da construção civil e os garis possuem outro tipo de necessidade. A proteção em atividades como essas deve vir em forma de reforço específico. Uma maior sustentação para o calcanhar/tornozelo são indispensáveis nesses casos, já que o deslocamento será feito em terrenos irregulares e com uma movimentação mais brusca. É essencial também que o solado do EPI seja antiperfurante e que a biqueira tenha resistência contra a queda de objetos pesados.

Os calçados enquanto equipamentos de proteção individual também abrangem atividades eletricistas, em temperaturas extremas, no campo, em escritórios, para quem lida com limpeza e uma série de outras especificidades.

EPI – Equipamentos de proteção individual são de uso obrigatório

Os equipamentos de proteção individual devem ser fornecidos, pelo empregador, em perfeito estado de conservação e de forma absolutamente gratuita. Esses equipamentos são de uso obrigatório em atividades onde as medidas coletivas de prevenção, sozinhas, não são suficientes para garantir a saúde e a segurança do trabalhador. Quando não impossibilitam a ocorrência de acidentes, os EPI’s contribuem para que as consequências tenham menor gravidade.

Além dos acidentes os equipamentos de proteção individual contribuem também para a diminuição da ocorrência de doenças ocupacionais. A escolha do EPI deve ser feita com base em um estudo dos riscos e das demandas da profissão exercida. Posteriormente deve-se observar as características do calçado a fim de descobrir qual se enquadra melhor nas necessidades do trabalhador. Cabe ao trabalhador utilizar o EPI de forma correta e conservá-lo de acordo com as orientações passadas. Isso garantirá sua segurança e a durabilidade do equipamento.

Equipamentos de Proteção Individual Marluvas – Importância da Saúde e Segurança no trabalho

Além de trabalhar com as melhores tecnologias do mercado a Marluvas possui parcerias estratégicas com outras marcas a fim de levar o melhor EPI até você. As marcas parceiras Marluvas são: Work Line, Safety Flex e Vulcaflex.

● Work Line
Os calçados Work Line + Marluvas são a melhor relação custo-benefício do mercado. Fabricados em couro e solado em PU Bidensidade, com opcionais em palmilha e biqueira de aço, são excelentes para utilização na indústria, serviços gerais ou na construção civil. Work Line e Marluvas é segurança ao alcance de todos.

O modelo 11WLT48 é um tênis ocupacional fabricado em couro com opção de biqueira de polipropileno ou aço. O colarinho é acolchoado soft e as laterais possuem fechamento em elástico. A palmilha de montagem é confeccionada em EVA e o solado em PU bidensidade com sistema de absorção de impacto, injetado diretamente no cabedal.

● Safety Flex e VulcaFlex
A Safety Flex, assim como a Vulcaflex, possui uma linha de calçados específica e especialmente direcionada aos trabalhadores da construção civil e serviços gerais. Os calçados são confeccionados em couro e contam com opcional de palmilha e biqueira confeccionadas em aço. Além de mais resistentes, essas características fazem com que a durabilidade dos calçados seja muito maior que de outros tipos. Proteção aliada a inovação.

A bota de segurança modelo 11SFB48 é confeccionada em couro com biqueira de polipropileno ou aço, fechamento em elástico nas laterais e opcional de palmilha de aço. O solado em PU bidensidade com sistema de absorção de impacto, injetado diretamente no cabedal.

Equipamentos de proteção individual além dos calçados – Saúde e segurança no trabalho

Sabemos que existem equipamentos de proteção individual destinados à proteção de todo o corpo. A NR6 os separa em nove categorias:

  1. EPI para a proteção da cabeça
  2. EPI para a proteção dos olhos e face
  3. Para a proteção auditiva
  4. Para a proteção respiratória
  5. EPI para a proteção do tronco
  6. Para a proteção dos membros superiores
  7. EPI para a proteção dos membros inferiores
  8. Para a proteção do corpo inteiro
  9. Para a proteção contra quedas em diferença de nível
    As mãos fazem parte do grupo “membros superiores” e para sua proteção temos as luvas. A Marluvas, em parceria com a empresa americana MCR Safety, oferece as melhores luvas de proteção individual. As luvas Marluvas + MCR enquanto equipamentos de proteção individual são completas em conforto e segurança e oferecem ao trabalhador o máximo de proteção contra cortes, variação de temperaturas e abrasão.

Além disso, as luvas proporcionam o máximo de aderência, sensibilidade tátil, destreza e alta resistência. Essas características são de extrema importância uma vez que o trabalhador, que realiza atividades com as mãos, precisa ter o máximo de sensibilidade e precisão para que sua função seja realizada de forma segura. Manusear ferramentas e máquinas sem precisão e sem segurança pode causar acidentes fatais.

Verifique a validade dos seus EPI’s

Observar a validade dos equipamentos de proteção individual é um ponto tão importante quanto escolher corretamente e optar pelas melhores marcas do mercado. Um EPI fora da validade pode não cumprir corretamente seu papel e colocando em risco a saúde e a segurança do trabalhador. Aliás existem duas datas de validade que devem ser observadas: a validade do Certificado de Aprovação (CA) e a validade do produto em si.

O CA é regulamentado pela Norma Regulamentadora 6 que prevê que todo tipo de EPI (nacional ou importado) só pode ser comercializado e utilizado se houver um Certificado de Aprovação válido. O CA é responsável por garantir que o equipamento de proteção individual está em conformidade com as normas de segurança. O Certificado de Aprovação é emitido pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE) e tem validade máxima de 5 anos. Para obter um CA o equipamento é submetido a testes rigorosos de qualidade.

Saúde e segurança no trabalho

Por fim, é importante lembrar que a validade do Certificado de Aprovação não tem relação com a validade do calçado de segurança. São duas coisas diferentes! Visto que a validade do CA determina por quanto tempo o produto fabricado pode ser comercializado. Enquanto a validade do EPI determina por quanto tempo ele pode ser utilizado sem perder as garantias dos testes de qualidade e sem oferecer risco à saúde e à segurança do trabalhador.

O EPI somente pode ser vendido se o CA estiver válido, mas após a compra deve-se estar atento à validade do produto em si.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#epi #botas de segurança #luvas de proteção