Quem já passou por um hospital ou qualquer setor relacionado ao tratamento da saúde sabe que os riscos que eles oferecem são bastante sérios (saúde ocupacional em ambiente hospitalar). Por isso todo cuidado é pouco quando estamos inseridos em um meio com diversos riscos de contaminação. E se esses já são considerados ambientes “perigosos” para quem está somente de passagem, imagine para quem trabalha e tem que conviver com a exposição diária!?

É por este motivo, e para garantir a saúde ocupacional do colaborador, que existem diversas medidas de proteção impostas pela segurança do trabalho. Por certo essas medidas vão desde a padronização de uma série de procedimentos até a utilização obrigatória de equipamentos específicos para proteção individual. Acima de tudo a norma regulamentadora que rege os procedimentos de segurança na área da saúde é a NR32 (Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde).

A NR32 abrange uma série de atividades relacionadas aos ambientes de saúde e hospitalar em geral. Ela mapeia os riscos dividindo-os entre químicos, biológicos e de radiação ionizante. Dessa forma torna-se possível direcionar recomendações preventivas/corretivas para todos os diferentes riscos mapeados. A norma considera como risco biológico “toda probabilidade da exposição ocupacional a agentes biológicos” que podem comprometer a saúde ocupacional.

Como agentes biológicos são considerados “os microrganismos, geneticamente modificados ou não; as culturas de células; os parasitas; as toxinas e os príons”. De acordo com a NR 32 “todo local onde exista possibilidade de exposição ao agente biológico deve ter lavatório exclusivo para higiene das mãos provido de água corrente, sabonete líquido, toalha descartável e lixeira provida de sistema de abertura sem contato manual”.

Riscos Biológicos


Ainda sobre os riscos biológicos a NR32 destaca também a obrigatoriedade da vacinação do trabalhador (tétano, difteria, hepatite B e os estabelecidos no PCMSO). As vacinas devem ser ofertadas pelo empregador de forma totalmente gratuita já que fazem parte das medidas obrigatórias de segurança e proteção com a saúde ocupacional. Partindo para os riscos químicos à saúde ocupacional, entre outras tantas recomendações, a NR32 enfatiza a necessidade da oferta de treinamentos aos colaboradores.

É imprescindível que os colaboradores sejam capacitados, antes de iniciarem suas atividades, para manusear com segurança os químicos com os quais terão contato. Além disso é importante a realização de treinamentos periódicos para atualização e reciclagem dos procedimentos e dos produtos.

A parte da NR32 que trata dos assuntos referentes aos riscos oferecidos por radiação ionizante enfatiza a importância de que: “sejam obedecidas as disposições estabelecidas pelas normas específicas da Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, do Ministério da Saúde”.

Saúde ocupacional em ambientes hospitalar

Antes de mais nada é indispensável que o empregador forneça ao seu colaborador os EPIs destinados às atividades em ambiente hospitalar. Além disso seguir atentamente cada detalhe da extensa lista de procedimentos da NR32. Sobretudo os equipamentos de proteção individual também são obrigatórios e auxiliam na manutenção da saúde ocupacional do trabalhador. A NR32 traz algumas orientações a respeito do assunto:

  • Os Equipamentos de Proteção Individual – EPI, descartáveis ou não, deverão estar à disposição, em número suficiente, nos postos de trabalho, de forma que seja garantido o imediato fornecimento ou reposição;
  • Além do cumprimento do disposto na legislação vigente, os Equipamentos de Proteção Individual – EPI devem atender às seguintes exigências: ser avaliados diariamente quanto ao estado de conservação e segurança; estar armazenados em locais de fácil acesso e em quantidade suficiente para imediata substituição; segundo as exigências do procedimento ou em caso de contaminação ou dano;
  • Com relação aos quimioterápicos antineoplásicos é vedado: iniciar qualquer atividade na falta de EPI;
  • O trabalhador que realize atividades em áreas onde existam fontes de radiações ionizantes deve usar os EPI adequados para a minimização dos riscos;
  • Na radiologia intra-oral: caso seja necessária a presença de trabalhador para assistir ao paciente, esse deve utilizar os EPIs;
  • É proibido movimentação de cilindros de gases sem EPIs adequados.

Equipamentos de proteção individual para a saúde ocupacional em ambiente hospitalar

Decerto existem alguns EPIs básicos destinados às atividades em ambiente hospitalar de saúde, todos a fim de proteger o trabalhador dos riscos aos quais ele está exposto e garantir sua saúde ocupacional. Inegavelmente as luvas são equipamentos de proteção individual básicos para proteção contra riscos biológicos e químicos. Em suma as luvas utilizadas para proteger contra riscos biológicos são descartáveis, mas nem por isso devem ter má qualidade.

Com toda a certeza, as luvas utilizadas para manejo de químicos devem ter resistência ao produto que será manuseado. Além disso outro EPI é a touca. Utilizada principalmente para impedir a queda de cabelos em manipulações químicas e nos próprios pacientes. Alguns ambientes demandam a utilização de aventais. Estes devem ser impermeáveis a fim de funcionar como uma barreira contra agentes químicos e biológicos. As máscaras são mais um EPI básico para quem atua em ambiente hospitalar.

Elas protegem contra contaminações transmitidas pelo ar e formam, juntamente com as luvas, uma dupla poderosa contra riscos biológicos. Os óculos são destinados a colaboradores que lidam com exposição a componentes químicos e radioativos. Por último mas não menos importante estão os calçados de proteção. Todos os calçados utilizados em ambiente hospitalar, visando a saúde ocupacional, devem ser fechados.

Linhas de calçados Flex Clean e All Work

Certamente, os calçados Flex Clean são ideais para este tipo de ambiente pois são totalmente fabricados em EVA. A saber, o Etileno Acetato de Vanila (EVA) é um tipo de plástico (polímero) emborrachado, flexível com propriedades adesivas e componentes à prova d’água. Perfeito para garantir a saúde ocupacional em ambientes de saúde, onde os profissionais se locomovem pelo espaço durante todo o dia e na maioria das vezes de forma rápida.

Inegavelmente, a principal característica do calçado Flex Clean é a leveza e durabilidade. Apesar de não ter resistência mecânica de estiramento este calçado tem resistência de pressão absorvendo choques. Mais uma característica perfeita para atividades que demandam muitas horas de pé e em movimento. Ao mesmo tempo, o EVA é um material atóxico, inodoro e lavável.

Outra linha também recomendada para o ambiente hospitalar é a linha All Work. Aliás, essa linha possui calçados tipo bota com altura de cano de 25 ou 30cm, também confeccionados em PVC com ou sem biqueira de aço. Ademais é um tipo de calçado de proteção perfeito para proteger os pés do contato com sangue, derivados de petróleo, óleos, produtos químicos, ácidos e solventes.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#bota hospital #epi #bota segurança trabalho #calçados de segurança