Proteção ambiental – Conheça o projeto Educam e as ações socioambientais da Marluvas

Proteção ambiental – Conheça o projeto Educam e as ações socioambientais da Marluvas

Certamente, proteção para os pés – isso a Marluvas conhece bem. Desenvolvendo os mais variados tipos de calçados para garantir o máximo de conforto e segurança, a Marluvas conta com tecnologias de ponta para fornecer o melhor para os seus pés. Mas você sabia que a empresa também tem como um de seus princípios a proteção ambiental? Conheça o projeto Educam (Educação Ambiental Marluvas), criado para ajudar na preservação de um de nossos bens mais importantes: a natureza.

O projeto Educam foi lançado em 2005, em Dores de Campos, Minas Gerais, onde está localizada a sede matriz da Marluvas. Com a expansão da empresa, o projeto foi estendido à cidade de Capitão Enéas, onde foi inaugurada, em 2011, outra unidade. Mas, afinal, como o projeto atua?

Projeto Educam

Decerto, o Educam tem como objetivo conscientizar alunos de escolas públicas e particulares sobre a importância de ações de proteção ambiental. Fomentando atitudes voltadas à preservação e ao cuidado com a natureza. Dentre palestras, mostras e diversas outras iniciativas ligadas à responsabilidade socioambiental, a Marluvas busca incentivar a adoção de práticas, por parte dos alunos e das famílias, que possam contribuir para a conservação dos biomas brasileiros.

Programa de reciclagem

Contudo, o projeto Educam, não é a única ação da Marluvas em prol da proteção ambiental. A empresa também possui um programa de reciclagem, através do qual são separados os resíduos da produção, permitindo que sejam reaproveitados e descartados de forma correta. Tudo isso é feito em parceria com empresas licenciadas, que garantem a eficácia e segurança do processo. Antes do projeto, todos os resíduos eram destinados a aterros industriais. Hoje, 15% desses resíduos já passam pelo processo de reciclagem. Os resíduos de PU (poliuretano) são reutilizados na confecção de calçados tradicionais, e a espuma na confecção de pelúcias e almofadas.

Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs)

Além disso, todas as unidades Marluvas contam com Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs). Através das ETEs, os resíduos de sanitários e lavatórios são tratados, sob supervisão diária e análise físico-química constante. Esse processo de acompanhamento atesta a eficiência do tratamento de esgoto, garantindo que os procedimentos ocorram de acordo com o encadeamento correto.

Portanto, agora que você já sabe mais sobre o projeto Educam e as ações de responsabilidade socioambiental da Marluvas, que tal se aprofundar um pouco no assunto e conhecer as Unidades de Conservação Ambiental (UCs)?

Unidades de conservação

Outrossim, existem vários tipos de unidades de preservação ambiental. Mas todas possuem o seguinte ponto em comum: são áreas naturais protegidas por lei. Estão sob gerenciamento, geralmente, do poder público (municipal, estadual ou federal), voltadas à proteção e recuperação da fauna e da flora.

Parques estaduais e nacionais

Dentre as diversas UCs estão parques estaduais e nacionais, reservas biológicas, florestas e patrimônios naturais. Algumas são dedicadas exclusivamente à preservação e pesquisa, enquanto outras podem ser abertas à visitação e lazer. Independentemente do tipo de unidade de conservação, são permitidas apenas atividades compatíveis com os princípios de proteção e preservação ambiental. Dessa forma evita qualquer tipo de dano ao ecossistema da área. São dois grupos que englobam as unidades de conservação:

Unidades de Proteção Integral

Mas, o principal foco desse tipo de UC é a proteção ambiental, por isso as atividades que podem ser desempenhadas na área são mais restritivas. É proibido o consumo, coleta ou dano aos recursos naturais. São permitidas apenas atividades que envolvam o uso indireto desses recursos, como pesquisas científicas, turismo ecológico e ações educativas.

Unidades de Uso Sustentável

Todavia, nessas áreas, o objetivo é aliar a conservação da natureza à utilização sustentável de recursos. Dessa forma, o consumo e coleta de recursos naturais são permitidos. Mas desde que não prejudiquem a perenidade do ecossistema e a manutenção dos processos ecológicos da área.

Unidades de Proteção Integral ou Uso Sustentável

A saber, todas as UCs, sejam elas Unidades de Proteção Integral ou de Uso Sustentável, devem possuir um plano de manejo. Aliás, esse documento contém dados, pesquisas e estudos sobre o meio físico, biológico e social da área. É a partir do plano de manejo que são instituídas as restrições de uso, as propostas de preservação e as ações a serem desenvolvidas na unidade de conservação. Ademais, esse plano visa estruturar a implementação das UCs e promover o melhor projeto de preservação possível, aliado à integração social das comunidades vizinhas.

Unidades de conservação ambiental

Surpreendentemente, o Brasil possui, atualmente, mais de 2.300 unidades de conservação ambiental registradas pelo Ministério do Meio Ambiente. Seja sob domínio das esferas municipal, estadual ou federal. Os parques lideram o número de UCs de Proteção Integral, sendo mais de 450 espalhados pelo país. Vamos conhecer alguns deles?

Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque

Primeiramente, o Parna Montanhas do Tumucumaque é o maior parque do Brasil, com quase 4 milhões de hectares. Criada em 2002 e localizada no Amapá, essa UC faz fronteira com a Guiana Francesa e o Suriname. É uma das maiores áreas de proteção de floresta tropical do mundo e abriga grandes carnívoros, como a onça-pintada e a suçuarana.

Parque Nacional do Pico da Neblina

Similarmente, o Parna do Pico da Neblina fica no Amazonas e foi criado em 1979, com mais de 2 milhões de hectares. Tanto quanto o Parna Montanhas do Tumucumaque, essa unidade de conservação também protege parte da Floresta Amazônica. Nesse parque nacional estão terras indígenas, como dos Cué-Cué/Marabitanas e dos Yanomami. Por consequência e devido ao risco de degradação ambiental, a visitação é mais restrita do que a de outras UCs.

Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Outrossim, o Parna dos Lençóis Maranhenses fica no litoral do Maranhão e é um dos principais destinos turísticos do estado. São 155 mil hectares, que possuem influência de três biomas diferentes: o Cerrado, a Caatinga e a Amazônia. Essa UC é uma boa pedida para quem gosta de praticar trekking, com diversas trilhas e circuitos.

Parque Nacional do Itatiaia

Enfim, criado em 1937, o Parna Itatiaia foi o primeiro Parque Nacional do Brasil. A área abrange municípios do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Essa área é uma boa opção para quem gosta de ecoturismo e turismo de aventura, com cachoeiras, piscinas naturais e o conhecido Pico das Agulhas Negras.

Pode-se perceber a importância de cuidar do meio-ambiente, não é mesmo? Por isso, faça como a Marluvas e invista em atitudes de responsabilidade socioambiental. A natureza agradece!

#Indicca – Geração de Conteúdo

#sustentabilidade #proteção ambiental #botas de trilha #botas com cadarço

Turismo ecológico – Saiba por que usar botas impermeáveis no seu passeio

Embora a correria do dia-a-dia, do estresse no trânsito, da rotina incessante de trabalho e das incontáveis obrigações cotidianas, muitas pessoas buscam, no contato com a natureza, um momento de alívio. Fazer um turismo ecológico passando algum tempo ao ar-livre é uma ótima maneira de fugir da agitação dos centros urbanos e relaxar. Há também quem utilize os espaços naturais como alternativa às artificiais academias e aos centros de treinamento. Nesse contexto, entram os esportes praticados em ambientes naturais, como o trekking, escalada, caminhada ou montanhismo. Essas são opções agradáveis para quem não é muito fã de aeróbica e musculação.

Assim, quem gosta de estar em contato com a natureza, seja para fazer exercícios e praticar esportes, ou simplesmente para relaxar e aproveitar, deve investir no turismo ecológico. O turismo ecológico – também conhecido como ecoturismo ou turismo de natureza – é voltado à visitação de ambientes naturais e de conservação, como parques, reservas e serras. São inúmeras as atividades que podem ser feitas nesses locais. Além do próprio passeio pelo ecossistema, em muitos lugares também há estrutura para o lazer e a prática de esportes. Frequentemente são oferecidas atividades orientadas, como trilhas, caminhadas em grupo, escaladas e mergulhos.

Atividades de Ecoturismo

Entretanto, as atividades disponíveis dependem da infraestrutura do local. Muitos parques nacionais, estaduais ou municipais, são mais voltados à preservação e manutenção do bioma. Por isso, as permissões de uso são mais restritivas nessas unidades. Sendo assim, é importante pesquisar bem o destino do passeio na hora de planejar a viagem, para que ele esteja de acordo com as atividades pretendidas. Conquanto, se o seu objetivo é a prática do trekking, por exemplo, existem locais que dispõem de diversas trilhas e circuitos famosos. Um deles é o Parque Estadual da Serra da Tiririca, no estado do Rio de Janeiro, que conta com mais de 10 percursos diferentes.

Se preparando para o passeio – Turismo ecológico

Antes de mais nada, escolher o destino com cuidado e pesquisar bastante sobre o local. Quando se fala em turismo ecológico é muito importante pensar nos alimentos, roupas e calçados ideais. Como, geralmente, passa-se um grande período caminhando pelos ambientes naturais, é essencial alimentar-se bem, independentemente da prática de esportes ou não. São preferíveis alimentos leves, como frutas e cereais, menos propensos a causar algum tipo de mal-estar. Principalmente, para não passar fome durante o passeio, deve-se levar também algum lanchinho saudável. Primordialmente levar, ainda, uma garrafinha de água, de preferência grande, para evitar desidratação, principalmente em dias quentes.

Sobretudo, as roupas devem estar adequadas ao clima e ao ambiente, mas, em qualquer situação, é preciso que sejam confortáveis. Calças são mais indicadas devido à picada de insetos e à folhagem, que pode causar arranhões. Em caso de tropeções ou quedas – comuns por causa da irregularidade do terreno – as calças também protegem os joelhos. Já as blusas ideais variam com o clima. No calor, camisetas e regatas são boas pedidas, principalmente as que possuem tecnologias de dispersão de suor. Já no frio, é recomendada a utilização de casacos térmicos e impermeáveis. Além de manter a temperatura do corpo, impedem a entrada de água nas camadas mais internas de roupa, o que é importante em caso de chuva e umidade excessiva.

Turismo ecológico

Ao preparar tudo para a viagem, não se deve esquecer, é claro, de escolher o calçado ideal para o passeio. E, nesse caso, a melhor opção é a bota impermeável. As botas impermeáveis se diferem das botas comuns por impedirem a entrada de água no calçado. Sendo assim, enquanto as botas comuns deixam os pés sujeitos à umidade externa, as botas impermeáveis impedem que essa umidade atinja a parte interna do calçado e molhe os pés. Sobretudo, em ambientes naturais, o terreno é muito variável, podendo contar com a presença de poças de água, riachos, lama e chuva. Para estar preparado para qualquer uma dessas situações, deve-se apostar na utilização desses calçados. Eles irão prevenir que os pés se molhem, dando ainda mais conforto e segurança ao usuário.

A umidade nos pés pode ocasionar o aparecimento de bolhas e micoses, sendo importante evitá-la. Todavia, a impermeabilidade do calçado pode ser mais importante do que a do agasalho, pois os pés estão mais expostos à umidade do que o corpo. Uma vez que o terreno, em diversas situações, como as citadas, encontra-se molhado, enquanto o corpo fica exposto à umidade principalmente em casos de chuva.

Calçados Impermeáveis – Turismo ecológico

Dessa forma, pode-se perceber as vantagens da bota impermeável em relação à bota comum e entender o porquê de ela ser a melhor escolha quando o assunto é turismo ecológico. Contudo, é preciso ficar atento a um ponto importante: o suor. Algumas botas impermeáveis, como impedem a entrada de água, também evitam que o suor dos pés saia do calçado. Sendo assim, elas protegem os pés da umidade externa, mas, em contrapartida, não deixam a umidade interna se dissipar. Portanto, nesses casos, os pés continuam expostos à umidade, só que, desta vez, advinda do suor, e permanecem sujeitos ao surgimento de bolhas e micoses.

Por isso, a linha Premiere Plus da Marluvas conta com a tecnologia DryOut – que garante a impermeabilidade do calçado. Aliada à tecnologia SoftBedPU, que permite a absorção e dessorção do suor através de microporos. Os microporos são menores que as gotas de água, o que impede a sua penetração no calçado, mas são maiores que o vapor de água, o que permite a dessorção do suor. Além disso, a linha também é confeccionada com Couro WR, que possui tratamento especial e é resistente à água, oferecendo mais uma camada de proteção contra a umidade.

Já a tecnologia Climatech permite a termorregulação. Em ambientes quentes, o calor é absorvido, prevenindo o suor. Já em ambientes frios, o calor é retido, permitindo que os pés se mantenham aquecidos. Por fim, o inserto de TPU confere mais sustentação ao tornozelo e, consequentemente, mais estabilidade em terrenos irregulares, o que é perfeito para o turismo ecológico.

Conclusão
Portanto, ao optar pelo turismo ecológico e preparar sua viagem, escolha a linha Premiere Plus da Marluvas. Os calçados Premiere Plus, com as melhores tecnologias, oferecem o máximo de conforto e segurança para quem gosta de estar em contato com a natureza e praticar atividades ao ar-livre. Conheça essa e outras linhas e escolha o calçado que mais se adequa às suas necessidades.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#bota impermeável #botas trekking #calçados trekking #proteção

Esportes ao ar livre – Conheça algumas modalidades e comece já os exercícios

Se acaso você já se consultou com um cardiologista, nutricionista, ou mesmo outros médicos especialistas, é muito provável que tenha ouvido a seguinte recomendação: faça exercícios físicos regularmente . Essa prática pode prevenir doenças cardíacas, reduzir os níveis de ansiedade e estresse, melhorar o humor, abaixar os níveis de colesterol e gorduras, dentre inúmeros outros benefícios (uma opção são os esportes ao ar livre). Há estudos que, inclusive, conectam as atividades físicas a melhoras no desempenho escolar e cognitivo, como mostrados pelas universidades de Strathclyde e Dundee, localizadas no Reino Unido.

Seja como for, por iniciativa própria ou por recomendação médica, muitas pessoas tentam começar a prática de exercícios na academia. Essa escolha se dá, em grande parte das vezes, pela presença de profissionais capacitados nesses lugares, que orientam as atividades e incentivam os alunos. Além disso, o contato com outras pessoas e a criação de laços podem ser mais um motivo de estímulo a quem frequenta as academias. Entretanto, nem todos se adaptam ao ambiente, e muitos acabam desistindo de ir ao treino, ou até nem mesmo o iniciam.

Outras opções de esportes

Visto que algumas pessoas não gostam de academia, existem diversas outras opções capazes de substituí-la. Os esportes ao ar livre são, nesses casos, ótimas alternativas. Além de todos os benefícios da prática de exercícios físicos, os esportes ao ar livre oferecem ainda outras vantagens, relacionadas ao contato com a natureza. Um estudo da Universidade de Derby, na Inglaterra, mostrou que esse contato aumenta a saúde e a felicidade, além de melhorar a conexão entre homem e natureza. Segundo a pesquisa, para pessoas que sofrem com problemas como depressão e ansiedade, estar em ambientes naturais também pode ajudar a controlar os sintomas, juntamente com os medicamentos receitados por médicos psiquiatras e acompanhamento psicológico, que não devem ser negligenciados.

Portanto, se você planeja começar uma atividade física, mas não gosta de academia ou tem preguiça de iniciar os exercícios, os esportes ao ar livre podem ser ótimas opções e dar aquele empurrãozinho para quem ainda não pratica as atividades regularmente. Veja abaixo algumas modalidades e escolha aquela que mais combina com você. O importante é não ficar parado!

Ciclismo (esportes ao ar livre)

Afinal, quem nunca andou de bicicleta quando criança? Além de divertido, o ciclismo trabalha o equilíbrio, melhora a circulação e fortalece os músculos, principalmente os da perna. Uma das vantagens é que você pode pedalar no seu ritmo e velocidade. Para quem gosta de atividades mais radicais, existem corridas e percursos mais difíceis, enquanto os que desejam tranquilidade podem escolher terrenos mais planos ou mesmo rotas já construídas.

Trekking (Botas trekking)

Já falamos algumas vezes sobre o trekking em nosso blog. Esse esporte consiste na caminhada por trilhas e percursos localizados em montanhas, serras, matas, praias ou em qualquer outro ambiente natural. É um esporte de baixo impacto e, por isso, pode ser praticado por pessoas das mais variadas idades. Existem até modalidades dentro do esporte, como o trekking de regularidade, competido em grupos, e o de velocidade, que é uma espécie de corrida onde cada um escolhe o percurso que desejar.

Stand up paddle (SUP) (esportes ao ar livre)

Para começar o stand up paddle é preciso apenas de uma prancha e um remo. O esporte é praticado no mar ou em lagoas e consiste em remar, em pé, numa prancha específica para o SUP. É indicado que os iniciantes façam algumas aulas com professores especializados antes de começar a praticar o SUP. É essencial também utilizar o colete salva-vidas, de modo a evitar afogamentos em caso de quedas ou acidentes. Para quem acha o surf um esporte muito radical ou até tem vontade de praticar, mas tem receio, o stand up paddle é uma boa pedida. É perfeito, também, para quem ama água.

Corrida

Entretanto, se você acha a caminhada uma modalidade meio parada e está pronto para novos desafios, comece a correr. Existem, claro, muitas competições e provas, mas o interessante em correr ao ar livre é aproveitar a natureza. Se você gosta de praticá-la sozinho, a corrida pode ser uma boa forma de testar e superar os próprios limites. Mas lembre-se que isso deve ser feito sempre respeitando as limitações do próprio corpo.

Escalada (esportes ao ar livre) (botas para escalar)

Primeiramente, para essa modalidade, é necessário treino e equipamentos de segurança. Na escalada, o objetivo é chegar ao topo ou a um ponto específico de uma estrutura rochosa. Assim como no stand up paddle, é indicado que os iniciantes na escalada busquem aulas com professores especializados, para garantir que, antes de começarem a escalar, tenham todas as habilidades e os equipamentos de segurança necessários, evitando, dessa forma, graves acidentes.

Slackline

O esporte vem se popularizando no Brasil e, talvez, você já tenha se deparado com alguém o praticando. Consiste em se equilibrar e atravessar, de um ponto a outro, uma corda elástica esticada e presa. Existem muitos grupos de slackline e, além de melhorar o equilíbrio e a concentração, a prática do esporte pode incentivar a socialização e levar a novas e boas amizades.

Todavia, é importante ressaltar que crianças, idosos e aqueles que possuem certos problemas de saúde, como alterações cardíacas, devem consultar um médico antes de começar a prática de exercícios físicos. O profissional irá fornecer todas as orientações, dicas e cuidados necessários, de acordo com a situação de cada paciente.

A importância do calçado

Seja como for, no trekking, na corrida, no ciclismo ou em qualquer outro esporte ao ar livre, a escolha do calçado ideal é essencial para garantir o conforto e a segurança de quem está praticando o exercício. Pensando nisso, a Marluvas desenvolveu, com as melhores tecnologias, a linha Premiere Plus. Além de oferecer mais estabilidade, o que é perfeito para quem realiza atividades em terrenos irregulares, os calçados Premiere Plus possuem impermeabilização, climatização interna e absorção e dessorção de suor.

Calçados para esportes ao ar livre (Botas com cadarço)

Sobretudo, as tecnologias Nubuck Repel, DryOut e Couro WR garantem a impermeabilidade dos calçados, permitindo que, mesmo em dias de chuva ou em ambientes úmidos, os pés não fiquem molhados, dando mais conforto a quem pratica exercícios em condições adversas. Da mesma forma, a absorção e a dessorção de suor também previnem a umidade. Já a climatização interna mantém a temperatura dos pés. No caso de aquecimento, o sistema Outlast Climatech – tecnologia especial Marluvas – absorve o calor irradiado pela pele, enquanto, no frio, o calor é retido. Além disso, os tecidos Air Comfort dão mais suavidade e leveza aos calçados, permitindo a melhora do desempenho na prática de exercícios físicos.

Enfim, antes de praticar esportes ao ar livre, confira a linha Premiere Plus da Marluvas e escolha seu calçado ideal, de acordo com o tipo de atividade física e suas necessidades.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#bota trilha #botas cano alto #botas trekking #sapatos Trekking #botas para escalar #botas montanhismo #botas aventura

Trekking: mergulhe no turismo ecológico do Rio de Janeiro

Trekking: mergulhe no turismo ecológico do Rio de Janeiro

Se você costuma acompanhar nosso blog, com certeza já leu algum dos nossos posts sobre trekking e turismo ecológico (ecoturismo). As práticas são ótimas opções para quem deseja estar em contato com a natureza e ainda cuidar da saúde de forma leve e agradável. No Brasil, são muitas as opções de trilhas e caminhadas, devido à exuberância das matas e às belezas naturais brasileiras. Mas, antes de trazermos alguns destinos para quem está interessado no turismo ecológico, vamos relembrar um pouco sobre o que é e quais são as vantagens do trekking.

Modalidades do trekking

Trekking é um termo utilizado para designar a ação de caminhar por trilhas ou percursos localizados em ambientes naturais. O trekking é considerado, inclusive, um esporte, com algumas modalidades. O trekking de regularidade, por exemplo, é uma modalidade esportiva competida em grupos, na qual é preciso realizar o percurso definido em um tempo pré-determinado. Já o trekking de velocidade se constitui por uma espécie de corrida, onde os competidores podem escolher qual trajeto desejam fazer, com o objetivo de chegar em postos de controle. Existem, além dessas, diversas outras modalidades do esporte, que é bem abrangente e pode ser praticado por pessoas das mais variadas idades.

Por se tratar de caminhada, o trekking é um esporte de baixo impacto e, por isso, até pessoas idosas podem praticá-lo. Ele melhora a circulação sanguínea, fortalece os músculos e pode até atenuar o estresse e a ansiedade. Nesse sentido, além da atividade física, a natureza exerce um papel importante no combate ao estresse, comprovado cientificamente. Uma pesquisa publicada no periódico suíço “Frontiers in Psychology” comprovou que apenas 20 minutos em ambientes naturais podem reduzir os níveis de estresse significativamente. Um ótimo motivo para começar a praticar o trekking, não acha?

Como se preparar para começar o Trekking Turismo Ecológico

Para praticar o trekking, é necessário conhecer e respeitar os limites do seu corpo. Quando praticado por pessoas mais velhas ou crianças, é importante também consultar um médico, que irá fornecer a orientação adequada para a prática de atividades físicas. Conhecer esses limites é essencial na hora de escolher a trilha, o local e a duração do trekking. Para pessoas com menor resistência, por exemplo, percursos em terrenos planos são mais indicados, enquanto quem quer – e pode – enfrentar maiores desafios tem a opção de trilhas em picos e serras. Existem, ainda, trilhas de curta ou longa duração, que podem levar horas ou até mesmo dias. Quem opta por trilhas longas deve, muitas vezes, montar acampamentos, então esteja com os equipamentos preparados caso seja essa a situação.

Depois de selecionar o destino e o percurso, é hora de preparar a mochila. É primordial levar uma garrafinha de água, de preferência grande, para garantir a hidratação, especialmente em dias de sol. Cerca de 70% do corpo humano é constituído de água, então nada mais importante do que se manter hidratado, certo?

Preparar a mochila para o Trekking Turismo Ecológico

Frutas e barrinhas de cereal também são elementos importantes para quem vai praticar o trekking, ainda mais em trilhas e percursos longos. Para aguentar a atividade, é preciso ter energia, então nada de começar o exercício em jejum. Mas cuidado para não exagerar na comida. O ideal são alimentos leves e energéticos, que não vão sobrecarregar o estômago e causar mal-estares.

Importância das roupas e calçados no Trekking Turismo Ecológico

As roupas também devem ser escolhidas com cuidado. Em dias ou ambientes frios, os agasalhos são essenciais e devem ser, de preferência, impermeáveis. Desse modo, mesmo em caso de chuvas, seu corpo permanece seco e aquecido. Já no caso de dias ou ambientes quentes, as roupas devem ser leves, mas ainda fornecer proteção. A utilização de repelentes é uma boa pedida nesses casos, pois, mesmo com roupas que deixem braços e pernas expostos, você poderá se proteger de picadas de pernilongos e certos insetos.

Não poderíamos deixar de falar, é claro, dos calçados. Assim como as roupas, o calçado adequado é essencial para quem pratica o trekking ou o turismo ecológico. Devem ser utilizados tênis ou botas confortáveis, que não machuquem os pés. Por isso, teste o calçado antes de fazer a trilha e garanta que ele não o machucará. Além disso, assim como os agasalhos, as botas também devem ser impermeáveis, promovendo conforto e segurança. Muitas trilhas são feitas em terrenos alagados e lamacentos e, devido a isso, a impermeabilidade do calçado é uma tecnologia indispensável. A linha Premier Plus da Marluvas possui, além da impermeabilidade, climatização interna e absorção e dessorção de suor, permitindo mais conforto na hora de praticar o trekking. Essa linha fornece, ainda, mais estabilidade em terrenos irregulares, sendo perfeita mesmo em ambientes adversos.

Trekking Turismo Ecológico no Rio de Janeiro

Já falamos aqui no blog de alguns belos destinos para quem tem interesse no trekking e no turismo ecológico. O Parque Estadual do Ibitipoca, em Minas Gerais, é assunto recorrente nos nossos posts. Mas, hoje, traremos alguns destinos diferentes, desta vez localizados no estado do Rio de Janeiro. Portanto, com tantas opções de trilhas e parques, não há desculpas para não começar o trekking.

Parque Estadual da Serra da Tiririca

Foto: Luiza Reis/Inea

Localizado na região litorânea do estado, entre os municípios de Niterói e Maricá, o Parque Estadual da Serra da Tiririca é uma área de preservação reconhecida pela Unesco como “reserva mundial da biosfera”. Dentre suas diversas trilhas está o caminho de Darwin. Sim, esse mesmo que você está pensando, o Charles Darwin. Na Serra da Tiririca o naturalista inglês teve contato com a biodiversidade da Mata Atlântica. Além do caminho de Darwin, são mais de 10 percursos e trilhas disponíveis, para escolher de acordo com suas preferências. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) do Rio de Janeiro fez uma cartilha com todas as informações sobre o parque e as trilhas.

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Foto: Frederico Rodrigues/ICMBio

O Parnaso, como é chamado, fica na região serrana do Rio de Janeiro, em um trecho da Serra do Mar. O parque possui três sedes, em Petrópolis, Teresópolis e Guapimirim. É o local perfeito para quem é apaixonado pelo turismo ecológico, com mais de 200 quilômetros de trilhas e milhares de espécies de plantas, além de 130 espécies de animais ameaçados de extinção. Mas existem trilhas de todos os níveis de dificuldade, inclusive trilhas acessíveis a cadeirantes. O Parnaso é uma das mais importantes áreas de proteção ambiental no Brasil.

Parque Nacional da Tijuca

Foto: Peterson de Almeida/Parque Nacional da Tijuca

O Parque Nacional da Tijuca fica no Alto da Boa Vista, na cidade do Rio de Janeiro. Há diversos atrativos, para todos os gostos e idades. Além de caminhadas e trilhas, o visitante pode praticar escalada, ciclismo e rapel, por exemplo. Pois as cachoeiras do parque também são imperdíveis e não poderíamos deixar de citar, ainda, a exuberância da fauna e da flora locais.

Assim com essas opções, fica difícil resistir ao trekking, não é mesmo? Lembre-se das nossas dicas e escolha seu calçado ideal na Marluvas.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#botas de trekking #botas com cadarço #calçados para trekking #proteção

Pratique trekking seguro no Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Pratique trekking seguro no Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Ainda tem dúvidas sobre a pratique trekking? Como já dissemos aqui algumas vezes esse é um esporte super democrático e ideal para ser praticado por quem gosta de estar em contato com a natureza. Então independente da sua idade ou do seu preparo, a prática do trekking sempre será uma boa opção se você busca uma atividade física prazerosa.

Além de falar sobre o que é necessário para uma prática segura dessa modalidade de trilha, daremos também a dica de um local com paisagem exuberante para que você inicie sua caminhada em grande estilo, ou se aventure em novas trilhas caso já seja adepto do esporte há mais tempo. Então falaremos sobre o Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

O que é preciso para começar a praticar trekking? (bota de trekking)

Se você é leitor novo do blog Marluvas provavelmente ainda não conhece nossos posts sobre trekking. Ah! Antes de mais nada seja muito bem-vindo! Nós falamos com frequência sobre a prática e inclusive já fizemos um artigo bem interessante sobre as diferentes modalidades dessa caminhada em contato com a natureza.

A dica para quem quer começar a praticar o trekking é escolher trilhas menores e com menos empecilhos. Nas primeiras vezes o ideal é optar por caminhadas que não excedam os 20 quilômetros. Então tenha certeza de que o local possui trilhas bem demarcadas e não hesite em contar com a companhia de um guia.

Se não quiser pagar um guia ou não quiser a companhia dele por qualquer outro motivo, leve amigos, procure por pessoas ou grupos que conheçam o local escolhido para a caminhada. Além de te dar mais segurança, ter alguém ao seu lado durante o trekking vai tornar o “passeio” mais leve divertido, já que você terá com quem conversar e compartilhar as belas paisagens pelo caminho.

Em hipótese alguma desobedeça às orientações das placas, caso existam, e se julgar necessário, leve um gps para não se perder. Vamos conhecer algumas trilhas no Parque Nacional da Serra dos Órgãos que são ideais para quem está começando? Para que você se localize, saiba que o Parnaso possui três entradas distintas: a Sede Guapimirim localizada no início da serra Rio x Teresópolis, km 98 da BR – 116; a Sede Teresópolis, que é a entrada principal do parque e a Sede Petrópolis Situada na Estrada do Bonfim, no Bairro de Correias.

Inicie seu trekking no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (pratique trekking)

A primeira trilha do Parque Nacional da Serra dos Órgãos que vamos apresentar aqui é a trilha da Barragem. A trilha tem 3km de extensão e uma média de duas horas de caminhada. Partindo da Sede de Teresópolis a estrada toda feita de paralelepípedos termina na praça da barragem, um ponto de captação de água para a cidade de Teresópolis. Por isso o nome da trilha.

A cada 100 metros de caminhada existem placas indicando a distância já percorrida. Pelo caminho é possível admirar a paisagem em alguns mirantes, descansar em recantos e encontrar duchas e cascatas. Todos os atrativos da parte baixa do Parque Nacional da Serra dos Órgãos são acessados por meio da trilha da Barragem.

Pratique Trekking

Outra trilha do Parnaso que possui a caminhada considerada leve é a que leva ao Poço dos Primatas – Circuito das Bromélias. Este poço é considerado o mais bonito da Sede de Petrópolis do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. A caminhada tem cerca de 1km. É mais curta que a Trilha da Barragem porém seu acesso acaba sendo um pouco mais complicado.

A trilha do Poço dos Primatas atravessa o rio, passando sobre pedras escorregadias e por este motivo é bom que se tenha atenção redobrada. Apesar disso a aventura é totalmente válida já que o visual final é de tirar o fôlego. A administração do parque recomenda que, por segurança, o local seja deixado imediatamente caso seja observada a formação de nuvens no alto da serra. Aliás antes de qualquer coisa é preciso cuidado com a segurança.

Parque Nacional da Serra dos Órgãos e trekking seguro (calçados para trekking)

E já que tocamos na questão da segurança é importante lembrar que o trekking por mais simples que seja, não dispensa alguns equipamentos que vão ser cruciais para a realização de uma caminhada tranquila e segura. Um desses equipamentos é o calçado. O calçado utilizado para a realização de trilhas precisa ter qualidade e algumas características específicas que oferecem o máximo de conforto e proteção.

O trekking é um esporte praticado em contato com a natureza e consequentemente em terrenos completamente irregulares. Por este motivo um tênis de academia comum pode não ser suficientemente seguro e confortável para a realização das trilhas. Opte por tênis ou botinas de segurança que tenham calcanhar reforçado e ofereçam uma maior estabilidade às pisadas. Dessa maneira além da diminuição do risco de torção você terá uma maior absorção de impacto.

É importante também que o calçado tenha tratamento impermeável já que na natureza é comum encontrar trilhas que passem por córregos e rios como é o caso da trilha do Poço dos Primatas no Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Imagine ter que passar o dia caminhando com os pés molhados só porque não escolheu o calçado correto!?

Além dessas duas características que consideramos indispensáveis em um calçado para trekking, você ainda pode escolher um que tenha controle de temperatura para não passar calor ou frio. Esses mesmos calçados possuem sistema de dessorção de suor, para que seu pé esteja sempre fresquinho e seco. Pois quanto mais completo for seu calçado melhor será sua experiência no trekking.

Vai ao parque Nacional da Serra dos Órgãos? Se liga nas dicas! (Pratique Trekking)

Agora que você já sabe como deve ser um calçado ideal para o trekking. E conhece duas trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos que são ideias para iniciantes. Então vamos descobrir como é o acesso ao parque.

Como dissemos, o parque possui três sedes e pode ser acessado por qualquer uma delas. Para isso você precisa adquirir um ingresso diretamente na bilheteria da sede de acesso ou por meio do site. Quem compra antecipadamente pelo site consegue entrar no parque fora do horário de funcionamento das bilheterias. Aliás o Parque Nacional da Serra dos Órgãos conta ainda com áreas de camping e oferece aluguel de barracas.

No site existem algumas abas de compra diferentes destinadas a moradores da região, moradores do país ou de fora, além de pacotes para pernoite o parque. Os valores variam de acordo com a especificidade de cada um.

Outras dicas para uma experiência incrível e segura no Parnaso são: o peso da sua mochila vai influenciar diretamente no tempo da caminhada, quanto mais pesada maior o tempo gasto. Então atente-se. Sempre volte no horário marcado mesmo que não tenha completado o trajeto.

#Indicca – Geração de Conteúdo

# botas trekking # calçados para trekking # botas trilha # sapatos trekking # botas aventura # botas com cadarço