Gestão de riscos na construção civil: reduza os acidentes de trabalho

Recentemente falamos por aqui sobre o trabalho na construção civil e os riscos que ele esconde. Assim abordamos rapidamente algumas medidas de segurança capazes de minimizar o número de acidentes de trabalho. E falamos sobre alguns dos equipamentos de proteção individual recomendados para quem atua na área. Afinal, é obrigação do empregador fornecer ao empregado um ambiente de trabalho seguro e saudável.

O colaborador que tem sua segurança promovida e sua saúde preservada, se sente mais motivado e acaba entregando melhores resultados. Porque a gestão de riscos é uma das formas mais eficazes de antecipar possíveis acidentes. Além de identificar diferentes riscos e aplicar todas as correções necessárias em qualquer ambiente, entre eles o canteiro de obras.

Gestão de Risco

Você sabe o que é e como funciona a gestão de riscos?

A gestão de riscos é um conjunto de ações estratégicas que visam a previsão dos mais diversos riscos relacionados a uma ou a várias atividades. Nesse sentido, essa prevenção é feita por meio da identificação, da administração e da condução desses riscos. Assim, por meio desse processo é possível atuar de forma antecipada, cortando o mal pela raiz. Pois essa ação ajuda a evitar perdas materiais e humanas. Dessa maneira mais do que apenas detectar e controlar possíveis acidentes, a gestão de riscos auxilia na criação de um ambiente amigável ao trabalhador.

A gestão de riscos é indicada e deve ser implantada em diferentes situações. Assim entre elas podemos citar: 1) Quando há necessidade de implementar controles que não estavam previstos no projeto inicial. 2) Quando mudanças significativas no ambiente ou nos procedimentos de trabalho forem realizadas. 3) De forma emergencial em caso de detecção de erros a serem corrigidos ou de ocorrência de acidentes. 4) De maneira periódica e preventiva.

Em resumo: a gestão de riscos deve servir para a difusão de uma cultura de prevenção de acidentes e promoção da saúde dentro do ambiente de trabalho. Decerto que a inserção dessa cultura deve envolver absolutamente todos os setores da empresa ou, no caso da construção civil, todas as atividades realizadas em cada uma das etapas da construção.

Quais as etapas para implementação da gestão de riscos?

Assim como tudo o que queremos realizar de forma efetiva em nossas vidas, o primeiro passo para a elaboração e implementação da gestão de riscos é o Planejamento. Pois é durante o planejamento que é decidido como tudo será feito: qual metodologia será utilizada? Quais as ferramentas disponíveis? Como o gerenciamento será executado na prática?

Depois do planejamento é hora da segunda etapa: Identificação dos riscos. Afinal este é o momento de ouvir todos os colaboradores, ou pelo menos um representante de cada setor. Por isso na construção civil ouça os profissionais que atuarão em cada uma das etapas da obra. Aliás aproveite o momento para identificar também os riscos administrativos. Lembre-se que a gestão de riscos deve abranger toda a empresa, até porque se sua gestão administrativa comete muitas falhas, dificilmente a parte produtiva dará o retorno esperado.

Depois de analisar friamente todos os possíveis riscos que envolvem os processos da empresa, chegamos na terceira etapa: a análise qualitativa. Então nessa etapa todos os riscos são agrupados e priorizados por probabilidade de ocorrência e impacto causado. Em resumo a análise qualitativa é seguida pela quantitativa, que compreende a quarta etapa da gestão de riscos. Enfim essa etapa consiste basicamente na transformação da análise anterior em números.

Porque depois de realizar as análises é hora de planejar as respostas aos riscos. É aqui que a segurança do trabalho começa a apontar as medidas corretivas e preventivas para cada um dos riscos detectados. Lembrando que existem normas regulamentadoras específicas para os diferentes grupos de riscos e suas recomendações devem, obrigatoriamente, ser levadas em conta nessa etapa da gestão de riscos.

O monitoramento é a sexta etapa da implementação da gestão de riscos

Então acompanhe como os riscos se desenvolvem e observe se sua classificação foi feita corretamente. Lance mão de sistemas de planilha, relatórios e indicadores. Dessa maneira, esteja sempre atento e aberto à possibilidade de identificar novos riscos e também à readaptação das medidas corretivas adição de medidas preventivas.

Esses são os seis passos básicos para a implementação e desenvolvimento da gestão de riscos. Então não esqueça que um bom gerenciamento de riscos vai além da proteção da saúde e segurança do colaborador. Porque ela abrange também toda a parte administrativa da empresa protegendo suas finanças, seus planejamentos e seus sistemas internos (hardwares e softwares).

Gestão de riscos administrativos e a construção civil

Do que exatamente estamos falando quando tocamos no assunto: riscos administrativos na Construção Civil? Apesar dos perigos existentes no canteiro de obras saltarem mais facilmente aos nossos olhos pela capacidade de causarem danos diretos à saúde do trabalhador. Os riscos administrativos existem e podem ser fatais para a “saúde” da empresa como um todo.

Pense comigo: os preços dos insumos oscilam com frequência; a produtividade pode ser variável por diversos motivos e um desses motivos é a dependência do serviço de terceiros:  fornecedores, subempreiteiros e projetistas, por exemplo. Os altos e baixos do setor econômico comprometem a disponibilidade dos recursos financeiros e as greves, por sua vez, comprometem o andamento do serviço.

É importante que todas essas variáveis sejam levadas em consideração durante a elaboração da gestão de riscos. Você deve prever absolutamente todos os eventos capazes de comprometer seus rendimentos e resultados: riscos econômicos, de operações financeiras, falhas técnicas, de projeto e de relacionamento. Prevendo essas variáveis você será capaz de se antecipar a elas e permanecer sempre um passo à frente.

Efetive a cultura da gestão de riscos

Promova palestras, treinamentos e “ações silenciosas” a fim de difundir a gestão de riscos entre todos os colaboradores da empresa. Uma reunião com absolutamente todos os funcionários da empresa em um único momento pode parecer inviável. Apesar disso, é possível distribuir urnas no espaço de convívio para que eles depositem por escrito as suas observações sobre os riscos percebidos no desenvolvimento das suas atividades.

As palestras servem para difundir informações sobre procedimentos, medidas protetivas e preventivas e conscientizações mais abrangentes. Aproveite para orientar quanto ao uso dos equipamentos de proteção individual e para reforçar os procedimentos operacionais que garantem a integridade individual e coletiva. Os treinamentos podem ser mais direcionados a fim de reforçar a correta utilização de determinados equipamentos e a realização de atividades desenvolvidas por grupos específicos.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#botas resistentes #bota construção civil #proteção #calçados de proteção

Esteja atento aos riscos do trabalho na Construção Civil

Esteja atento aos riscos do trabalho na Construção Civil

A construção civil sempre foi um setor forte no Brasil e apesar dos altos e baixos da economia nos últimos anos. Ela continua sendo um dos setores que mais geram empregos em todo o país. Sabendo da sua grandeza e importância é bom lembrar também que o trabalho no canteiro de obras oferece diversos riscos à saúde de quem lida com o trabalho braçal. Portanto, como já vimos no título, esse não é um artigo sobre economia, e sim sobre saúde e segurança do trabalho na construção civil.

Saiba que apesar de serem muitos, os riscos existentes na construção civil são, na maioria das vezes, totalmente evitáveis. O principal a se fazer é seguir à risca todas as orientações passadas pelo setor de saúde e segurança do trabalho. Além de realizar algumas ações extras que visam a promoção da consciência do trabalhador. Então é importante que todos os colaboradores que atuam na construção civil estejam cientes dos riscos presentes no ambiente em que estão inseridos.

Quais são os riscos mais comuns na construção civil?

Existem muitos riscos e alguns fatores que influenciam e facilitam as suas ocorrências. Vamos conhecer alguns dos obstáculos presentes na construção civil a fim de encontrar maneiras de corrigi-los e evitar que os acidentes aconteçam.

Um dos fatores agravantes e que determinam a ocorrência de diversos acidentes; não só na construção civil mas em todos os ambientes de trabalho é a falta de organização. Porque um ambiente desorganizado é um prato cheio para quedas e outros tipos de acidentes. Então imagine um canteiro de obras com caixas e materiais todos jogados pelo caminho… Ferramentas deixadas fora do seu devido lugar podem acabar machucando aqueles colaboradores menos atentos.

A falta de atenção é inclusive mais um dos causadores de acidentes na construção civil. Trabalhador desatento comete erros que podem ser fatais tanto para si quanto para os colegas de trabalho. Pois os materiais manuseados dentro do canteiro de obras são dos mais variados tipos e pesos, indo desde simples parafusos até enormes placas de concreto. Dessa maneira imagine a gravidade dos acidentes que podem ser causados pela queda de objetos mais pesados.

NR-18

Para evitar esse tipo de acidente é importante que o trabalhador siga à risca todas as orientações das Normas Regulamentadoras. Pois uma das principais para a construção civil é a NR 18. Ela é a responsável pelo estabelecimento de diretrizes de ordem administrativa, planejamento e organização. Então seu objetivo maior é a implantação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos dentro dos canteiros de obras.

Pois uma das principais para a construção civil é a NR 18. Ela é a responsável pelo estabelecimento de diretrizes de ordem administrativa, planejamento e organização. Então seu objetivo maior é a implantação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos dentro dos canteiros de obras.

Outra medida importante para amenizar os danos à saúde causados pela eventual queda de objetos é a utilização correta e contínua dos equipamentos de proteção individual. São muitos os EPI’s utilizados no ambiente da construção civil. Mas com relação à proteção contra quedas de objetos os mais importantes talvez sejam o capacete e os calçados. Pois o calçado é um equipamento de proteção individual obrigatório e importantíssimo no dia a dia do trabalhador da construção civil.

Utilize o calçado correto na construção civil

Um calçado de proteção utilizado no canteiro de obras deve oferecer o máximo de conforto ao trabalhador e deve ser confeccionado com materiais de qualidade, garantindo resistência e durabilidade. A Linha Composite Marluvas possui calçados com especificidades perfeitas para o ambiente em questão. A Bota de Segurança 50B29 CPAP SRV é um calçado de segurança com biqueira de composite; colarinho acolchoado; confeccionada em couro; fechamento em cadarço; forração interna e solado bidensidade.

O solado bidensidade é constituído de duas camadas de poliuretano (PU), injetado diretamente no cabedal, sendo a 1ª camada (entressola) mais macia e leve, com densidade de 0,4g/cm3 proporcionando maior conforto; e 2ª camada (sola) mais compacta com densidade de 0,9g/cm3, resistente a objetos cortantes, perfurantes e a abrasão com sistema antiderrapante constituído de ranhuras especiais de 3mm de altura e 6mm de largura.

Importância solados

Além do solado altamente reforçado o calçado possui ainda uma biqueira em plástico polímero ultra-resistente, suportando impactos de 200J e compressão de até 1500Kg (N) e mais leve, cerca de até 51%, que as biqueiras de aço. Mas possui também propriedades anti magnéticas e anticorrosivas, além de ser não detectável por detectores de metal.

Esse calçado possui ainda uma palmilha dupla camada: higiênica e de montagem. A palmilha higiênica é anatômica, conformada em EVA antifungo/antibactéria e composta de micropontos que proporcionam absorção e dessorção do suor. Pois a palmilha de montagem é resistente a perfuração não metálica de até 1100N; feita em múltiplas camadas de fibras 100% poliéster. Enfim, protege 100% da superfície plantar do pé.

Esse é o tipo de calçado ideal para a realização de atividades na construção civil. Resistente, confortável e seguro para o trabalhador!

Agora que você já conheceu o EPI ideal vamos voltar aos riscos presentes no canteiro de obras. Uma coisa em que poucas pessoas pensam é no risco de choque elétrico. Mas a verdade é que muitas das ferramentas dependem de eletricidade para funcionar e o trabalhador negligente pode acabar levando choque. Principalmente durante a parte “finalística” da obra, onde começam a ser feitas as instalações elétricas, todas as atividades devem ser desempenhadas por pessoas treinadas e qualificadas.

As quedas de alturas também são perigo presente na construção civil. Toda a atividade em altura acima de dois metros deve ser realizada com a utilização de equipamentos de proteção individual específicos como o cintos paraquedistas e dispositivos de sistemas de ancoragem, por exemplo. Pois visando a diminuição e eliminação do risco de queda foi criada a NR 35. Portanto, é importante manter o canteiro de obras sempre bem sinalizado, informando aos colaboradores quais são os riscos presentes em cada uma das áreas de atuação.

Reduza os riscos de acidente na construção civil

Para amenizar os riscos de acidentes na construção civil e acabar com a sua incidência é importante realizar a implementação de uma Gestão de Riscos. Assim uma boa Gestão de Riscos permite a identificação de todos os problemas do canteiro ainda em sua fase de planejamento. Dessa maneira é possível que as medidas corretivas e preventivas sejam tomadas antes que as atividades sejam iniciadas.

Como isso é possível?

Por meio de uma análise física completa do ambiente os riscos são identificados levando em consideração coisas como: atividades a serem desenvolvidas; materiais a serem utilizados; máquinas; equipamentos e ferramentas necessárias. Assim a partir daí os riscos são classificados entre físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e acidentes. Identificados e classificados, os riscos passam a ser monitorados constantemente a fim de garantir que tudo está em ordem.

Então realize o monitoramento de forma proativa e reativa. Pois o primeiro método aplica ações preventivas para evitar acidentes por meio de fiscalizações e vistorias. Enquanto o segundo avalia e acompanha incidentes que já aconteceram, propondo soluções para evitar que ocorram novamente.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#epi # bota construção civil # bota impermeável #bota sete léguas #galocha

Calçado anti perfurante para proteção na Construção Civil

Calçado anti perfurante para proteção na Construção Civil

A construção civil é um ambiente que esconde inúmeros riscos para o trabalhador e justamente por isso exige uma série de cuidados específicos (calçado anti perfurante). Todos esses cuidados, medidas de proteção e segurança, são devidamente regulamentados pela Norma Regulamentadora 18. A NR 18 determina quais as diretrizes de planejamento, organização e administração que devem ser seguidas dentro dos canteiros de obras.

O objetivo maior da norma é a implementação de táticas que visam o controle e a prevenção dos riscos na construção civil. A Norma Regulamentadora 18 assegura a saúde e a integridade física dos trabalhadores; estabelece as responsabilidades e atribuições dos gestores de obras; define medidas protetivas e preventivas, além de definir e operar as medidas protetivas e preventivas. Então, a NR 18 valoriza as técnicas de  execução de cada tarefa e minimiza os riscos de doenças e acidentes.

Riscos mais comuns na construção civil

  • A queda em altura é um dos riscos de acidentes mais comuns que encontramos na construção civil. Para evitá-los o ideal é a utilização de equipamentos de proteção individual como os cintos, por exemplo. É importante também que os andaimes sejam construídos de maneira segura e que os trabalhadores encarregados de realizar trabalhos em altura sejam devidamente treinados.
  • Os riscos de choques elétricos também estão presentes na construção civil. Para preveni-los é necessário que toda a parte elétrica seja devidamente isolada e/ou sinalizada. Outra medida de segurança é a utilização de equipamentos de proteção. Dessa forma, a conscientização do trabalhador quanto aos riscos e o treinamento específico para o colaborador encarregado das atividades.
  • Ruídos excessivos parecem inofensivos mas são um grande risco para a saúde do trabalhador de construção civil. Já que fazem parte integral da rotina e podem levar à surdez. Não só os ruídos, mas a exposição a produtos químicos derivados de metais, gases asfixiantes e solventes orgânicos também podem causar perda auditiva.
  • A movimentação de objetos também apresenta sérios riscos para a saúde e para a segurança do trabalhador. Dessa maneira, por ser presença constante na rotina da construção civil, algumas medidas de proteção se mostram necessárias. Enfim, a utilização de equipamentos de proteção individual é a melhor forma de evitar acidentes ocasionados pela movimentação de objetos nos canteiros de obras.

Equipamentos de segurança na construção civil

A principal medida de segurança em diversos ambientes de trabalho é a utilização correta dos equipamentos de proteção individual. Então, na construção civil os equipamentos são dos mais variados tipos e atendem às diversas especificidades da área. Enfim, um dos equipamentos principais é o calçado de segurança.

O calçado de segurança usado como equipamento de proteção individual na construção civil protege o colaborador contra perfurações, que podem ser causadas por pregos e outros materiais perfurantes/cortantes. Então, o calçado protege ainda contra a queda de objetos pesados e capazes de causar esmagamento dos pés. Além disso evita escorregões e acidentes do tipo.

A Marluvas possui uma linha de calçados que atendem às necessidades específicas de proteção da construção civil: a linha Premier Plus

Um dos modelos da linha é a botina ocupacional 75BPR29-MSMC. Esse calçado é confeccionada em couro, possui biqueira de composite, colarinho acolchoado, fechamento em cadarço, forração interna, sistema anti-torção e solado bidensidade.

“Solado Constituído de duas camadas de poliuretano (PU), injetado diretamente no cabedal. Sendo a 1ª camada (entressola) mais macia e leve, com densidade de 0,4g/cm3 proporcionando maior conforto; e 2ª camada (sola) mais compacta com densidade de 1,0 g/cm3, resistente a objetos cortantes, perfurantes e a abrasão com sistema antiderrapante constituído de ranhuras especiais de 3mm de altura e 6mm de largura”.

“Biqueira Plástico polímero ultra-resistente, suportando impactos de 200J e compressão de até 1500Kg (N); e mais leve em cerca de até 51% comparada às biqueiras de aço. Aliás possui também propriedades antimagnéticas e anticorrosivas, além de ser não detectável por detectores de metal”. Então todos os calçados Marluvas são confeccionados com as melhores tecnologias disponíveis no mercado. Ou seja, visam sempre a saúde, o conforto e a segurança do trabalhador. A botina ocupacional 75BPR29-MSMC atende às necessidades do trabalhador da construção civil.

Além do uso de calçados específicos é recomendado também o uso de outros equipamentos de proteção como:

  • capacete,
  • protetor auditivo,
  • máscara para poeira,
  • máscara para produtos químicos,
  • cinto de segurança para trabalhos em altura,
  • luva de raspa,
  • viseira de proteção,
  • óculos de proteção e filtro solar.

Outras medidas de segurança na construção civil

Além dos equipamentos de proteção individual existem algumas normas e procedimentos que orientam as medidas de segurança na construção civil. A Norma Regulamentadora 18 é a principal norma de segurança neste meio. Além dela existem algumas outras normas e também alguns procedimentos padronizados com o intuito de orientar os procedimentos de trabalhos para que tudo seja realizado da maneira mais segura e saudável para o trabalhador.

Entre esses procedimentos padrão está o Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (PCMAT). Assim, um profissional habilitado da área deve ficar responsável pela elaboração e pela execução do programa. Então é importante que o profissional esteja sempre presente no local da obra e para resolver qualquer questão referente ao PCMAT.

O Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho Na Indústria da Construção é responsável por apresentar as condições do meio ambiente de trabalho nas atividades, além das especificações técnicas de todos os instrumentos de proteção (coletivos e individuais). O PCMAT ainda atua como um projeto de concretização das proteções coletivas, de acordo com cada etapa de execução da obra.

Além do Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho existe também o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais ou PPRA. Então este programa também zela pela segurança e pela saúde do trabalhador, com foco na proteção dos recursos naturais e do meio ambiente.

Outros programas de prevenção de acidentes importantes em ambientes como o da construção civil. São o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), o Diálogo Diário de Segurança (DDS) e a Permissão de Trabalho (PT). O primeiro deles, PCMSO, é um programa de realização de exames médicos periódicos para garantir saúde do trabalhador.

O DDS é exatamente o que o nome diz: um sistema de diálogo entre os funcionários que visa a propagação das medidas de segurança na construção civil. Geralmente essa conversa é realizada pouco antes do início do expediente. Já o PT é um tipo de permissão que regulariza a realização de atividades em ambientes com alto grau de periculosidade para o colaborador. Portanto, com a Permissão de Trabalho o acesso de determinados trabalhadores a essas áreas é permitido pelo tempo determinado na PT.

#Indicca – Geração de Conteúdo

# bota construção civil # bota de segurança marluvas #proteção #epi # bota resistente # botas de segurança

Segurança do profissional de construção civil

Segurança do profissional de construção civil

Segurança do profissional de construção civil. Você sabia que no dia 26 de outubro é comemorado o Dia do Profissional de Construção Civil? Então a data serve como forma de homenagear todos os trabalhadores da área, que exercem suas atividades sempre com muito empenho e dedicação, colaborando com o desenvolvimento econômico e estrutural do país. Assim a construção civil é um setor que, segundo o IBGE, está em constante crescimento no país. Assim tornar ainda mais relevante as condições de Segurança Ambiental para o este trabalhador.

Segurança do profissional de construção civil, Dia do Profissional da Construção Civil

A variedade de profissionais que trabalham na construção civil é enorme. São arquitetos; engenheiros; mestres de obra; pedreiros; ajudantes de obra; armadores; pintores; gesseiros; eletricistas e encanadores. Cada um desses participa de uma etapa da obra e todos são igualmente importantes para que o resultado final seja satisfatório.

A condição relacionada a segurança contra acidentes justifica EPI específicos, treinamentos e abordagem diferenciada para cada um dos segmentos dentro da obra. Porque o processo de valorização e preocupação com a segurança dos profissionais precisa estar inserido no dia a dia da obra.

O que faz cada um dos profissionais da construção civil?

Cada um destes profissionais que citamos acima têm um papel específico na construção civil. Você conhece o trabalho de todos eles?

  • Arquiteto

O arquiteto é quem dá início aos trabalhos da construção civil. Então ele inicia o projeto e define como será realizado o trabalho. O arquiteto elabora e desenvolve a planta, define os materiais, os acabamentos e os métodos a serem utilizados na construção. Enfim ele pode participar também da etapa de decoração, ao final da obra.

  • Engenheiro

O engenheiro coloca em prática o que foi pensado pelo arquiteto. É ele quem vai supervisionar a equipe de obras e orientar os profissionais envolvidos naquele projeto, de acordo com os desejos do arquiteto. Aliás o engenheiro também faz os cálculos relacionados a questões estruturais, arquitetônicas, elétricas e hidráulicas.

  • Mestre de obras

O mestre de obras é o profissional responsável pela parte de fiscalização e supervisão de todas as etapas da obra. Para isso, ele deve ter conhecimento em todas as áreas que serão citadas abaixo, além de entender mesmo que minimamente sobre os materiais que serão utilizados. O mestre de obras delega as funções aos encarregados e mantém o trabalho em ordem, sempre filtrando os problemas antes que eles cheguem à equipe de engenharia.

  • Pedreiro

A maior parte dos profissionais que compõem a construção civil são pedreiros. E a pessoa que exerce essa função, pode ter diferentes habilidades. Então um pedreiro pode ser especialista em alvenaria, emboço, lajes, contrapiso e outros. Pois bons pedreiros são hábeis nas atividades com nível, prumo e esquadro.

  • Ajudante de obra

São os responsáveis por confeccionar, organizar e transportar os materiais de obra. Em geral, essa acaba sendo uma função que demanda mão de obra menos qualificada, portanto ser ajudante de obra é ideal para quem tem interesse em aprender e se desenvolver na profissão.

  • Armador

O armador é quem lida com as ferragens na construção civil. Ele corta, dobra e monta os ferros estruturais e deixa a obra preparada para a concretagem.

Mais profissionais

  • Pintor

O pintor aparece apenas na parte final da obra. Então o profissional de pintura participa da etapa de acabamento e tem diferentes especialidades: exteriores, interiores, texturização, predial e outros.

  • Gesseiro

O gesseiro é o profissional responsável por aplicar o gesso na parede e no teto. No geral, o profissional que lida com gesso também trabalha com a parte de dry-wall.

  • Eletricista

Os eletricistas cuidam das instalações elétricas dentro da construção civil. Iluminação, interruptores, tomadas e outros. Eles entram tanto no início da obra, com a previsão dos pontos  de luz, quanto no final, com a instalação de fato.

  • Encanador

Este é o profissional responsável pela parte hidráulica da obra. O encanador instala os canos responsáveis por ligar a água e o esgoto, além das pias, tanques e torneiras. Da mesma forma que o eletricista, o encanador também está presente no início da obra prevendo os pontos de água.

Estes são alguns dos profissionais indispensáveis para o bom andamento diário das atividades na construção civil. Além deles, outros profissionais específicos podem ser solicitados. Então tudo vai depender do quão complexa será a execução da obra.

Saúde ocupacional na construção civil

A saúde e a segurança no trabalho é uma preocupação constante na área da construção civil. Pois os profissionais da área estão sempre expostos a diversos riscos de acidentes. Então são riscos relacionados ao operação de equipamentos, trabalho em altura, manuseio de objetos pesados que podem cair sobre os pés, ou, quando manuseados em andares altos, podem cair sobre alguém que está mais abaixo, excesso de ruídos e outros.

manuseio de objetos pesados que podem cair sobre os pés

Para amenizar os riscos contidos no ambiente da construção civil, é necessária a adoção de diversas medidas de prevenção de acidentes. Além dos treinamentos periódicos, é importante que as Normas Regulamentadoras específicas para a construção civil sejam seguidas à risca. Assim existem normas para as diferentes etapas da obra e é importante que os engenheiros e mestres de obras conheçam cada uma delas.

normas para as diferentes etapas da obra

Outra forma importante de prevenir danos à saúde por conta de atividades relacionadas ao trabalho na construção civil, é a utilização dos equipamentos de proteção individual. Então são equipamentos variados: capacetes; protetores auriculares; máscaras para proteger contra poeira e produtos químicos; cinto de segurança para trabalho em altura; luvas; óculos e viseiras.

botas de segurança

Sentiu falta de algum equipamento de proteção individual? Sim, o calçado de segurança. O calçado de segurança é indispensável e além de proteger o trabalhador contra acidentes como o esmagamento dos pés, por exemplo, vai ajudá-lo a se manter confortável durante o dia de trabalho. Conforto que gera saúde ao não sobrecarregar a coluna, oferecendo maior sustentação ao tornozelo, por exemplo.

vai ajudá-lo a se manter confortável durante o dia

E você sabe onde encontrar os melhores calçados de proteção? Na Marluvas. Então a Marluvas trabalha com as melhores tecnologias do mercado e oferece o máximo de qualidade, conforto e segurança. O TPU Plate, por exemplo, é um inserto de TPU ANTI-TORSION aplicado no enfranque do solado, que oferece maior sustentação ao tornozelo, estabilidade em terrenos irregulares e ao subir escadas, evitando acidentes.

medicina do trabalho ajuda a melhorar sua empresa

A Composite TOE é uma biqueira de Composite não metálica, leve e confortável, resistente ao impacto 200J e compressão 1500N, conforme norma NBR ISO 20345/2015. Além dessas, outra tecnologia que faz toda a diferença no ambiente da construção civil é a palmilha em fibras de aramida não metálica e resistente à perfuração. Leve e flexível, a palmilha cobre 100% da planta do pé e resistente à perfuração mínima de 1100N conforme norma NBR ISO 20344/2015.

Então a Marluvas possui ainda calçados com sistema de aclimatação, anti chamas e antiderrapantes. Portanto, conheça a Marluvas e tenha o melhor em calçados de segurança!

#Indicca – Geração de Conteúdo

#bota construção civil #bota confortável #bota de segurança marluvas # bota pvc # bota serviços gerais # botas cano alto # botas de segurança