notícias

Trabalho em açougue também requer equipamento de proteção individual

Podemos dizer que todo trabalhador, independente da atividade que exerce, está exposto a algum tipo de risco ergonômico. E é para minimizar estes riscos que existe a segurança do trabalho. Que é um conjunto de ciências e tecnologias que têm o intuito de proteger o trabalhador e minimizar a ocorrência de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

É a segurança do trabalho que regulamenta e exige o uso do equipamento de proteção individual. O equipamento deve estar sempre adequado ao risco que o trabalhador é exposto dentro do seu ambiente de trabalho. Entre os muitos ambientes de trabalho que oferecem grandes riscos à saúde e a segurança do colaborador está o açougue. Neste artigo vamos explorar os riscos ocupacionais presentes dentro do açougue e apontar algumas medidas de segurança capazes de minimizá-lo.

O açougueiro lida com diferentes ferramentas de corte e está sempre se movimentando em um ambiente úmido, escorregadio e com outras pessoas desempenhando atividades parecidas. Não podemos nos esquecer também das câmaras frias e a exposição às temperaturas extremas. Esses fatores somados a uma dose de falta de atenção e negligência podem acabar resultando em graves acidentes. Com lesões que são muitas vezes irreversíveis e até mesmo fatais.

Portanto é importante contar com a supervisão e com as orientações de um profissional de segurança do trabalho. É ele quem vai identificar, avaliar e determinar as medidas de controle das situações de risco, entre elas a correta utilização do equipamento de proteção individual. São essas medidas que vão proporcionar um ambiente ocupacional seguro e saudável para todas as pessoas envolvidas com o trabalho e também para os clientes.

Equipamento de proteção individual e as máquinas utilizadas no açougue

Como dito anteriormente, um dos riscos aos quais o açougueiro está exposto são as máquinas de corte. A máquina destinada ao corte de ossos por exemplo. É um equipamento um tanto quanto afiado e perigoso para o trabalhador. E não por acaso é uma das maiores responsáveis pelos acidentes causados na área. É importante frisar que a maioria absoluta desses acidentes acontecem por negligência. A falta da utilização da proteção na serra da máquina.

A serra corta em posição vertical todo e qualquer tipo de carne, até mesmo as com ossos mais resistentes. A máquina é rápida, afiada, eficiente e consequentemente perigosa. Qualquer descuido pode custar um dedo ou até mesmo a mão inteira. Para evitar acidentes do tipo, é importante que seja utilizada a proteção na lâmina da própria máquina. Muitas pessoas devem estar pensando em utilizar também a luva de malha de aço como equipamento de proteção individual para as mãos. Mas nesse caso específico é importante frisar que a luva não é recomendada.

A luva de malha de aço, caso haja algum descuido, pode acabar se enroscando na lâmina da máquina e isso vai ocasionar um acidente ainda maior. Um ponto importante é que apenas colaboradores treinados e autorizados devem operar as máquinas de corte. Sempre que se a máquina não estiver em uso ela deve ser desligada. A manutenção e limpeza também  devem ser realizadas apenas por pessoas devidamente treinadas.

Equipamento de proteção individual e facas

Praticamente todas as pessoas que trabalham em açougue um têm a faca como ferramenta principal de trabalho. A todo momento as facas são manuseadas e passadas de uma bancada para outra para manipulação das carnes. Tudo isso acontece de forma muito dinâmica em um ambiente com muitas pessoas trabalhando ao mesmo tempo. Uma virada brusca com a faca na mão pode resultar em um acidente grave, por isso é preciso cuidado.

É importante que a movimentação dentro da área de manipulação de carnes seja feita sempre de maneira organizada e com o máximo de atenção possível, para que não aconteça nenhum acidente por descuido. E sobre a utilização da luva de malha de aço como equipamento de proteção individual, aqui sim ela é muito bem vinda.

A luva de malha de aço vai proteger a mão do açougueiro caso ele faça algum movimento equivocado enquanto realiza o corte das carnes. A luva deve ser disponibilizada pelo empregador e utilizada durante todo o tempo em que o trabalhador estiver manuseando a faca.

Equipamento de proteção individual para o açougueiro

Outro equipamento manuseado pelo açougueiro e que pode oferecer risco à sua integridade física.  São as máquinas de selagem de embalagens. Essas máquinas geralmente operam sob altas temperaturas e podem causar queimaduras graves. Se não forem manipuladas por pessoas devidamente treinadas e corretamente equipadas.

Dentro de um açougue existem ainda os riscos biológicos devido à exposição aos produtos de origem animal em larga escala e a sua manipulação. Risco de contaminação dos produtos durante a manipulação dos mesmos e da gordura, assim como os fluidos resultantes do processamento. A contaminação pode ocorrer tanto no próprio produto (carne), colocando a saúde do consumidor em risco.  Quanto no açougueiro por conta da exposição à qual ele se submete enquanto manipula as carnes .

Para que os riscos biológicos não gerem transtornos é importante seguir à risca todas as normas impostas pela vigilância sanitária. É importante também manter toda a área de circulação sempre limpa e livre de obstáculos. Além disso é importantíssimo utilizar corretamente o equipamento de proteção individual destinado a cada tipo de atividade e que proteja cada parte do corpo mais exposta aos riscos.

Os açougueiros que realizam a manipulação direta das carnes devem trabalhar obrigatoriamente de roupa branca: gorro, calça e camisa ou macacão, e avental. Os colaboradores que têm acesso às câmaras frigoríficas devem utilizar japonas frigoríficas (jaquetas térmicas resistentes a temperaturas extremamente baixas). Botas de borracha ou material equivalente, preferencialmente brancas ou claras também são um equipamento de proteção individual e têm uso obrigatório.

É importante que as botas de segurança utilizadas nos açougues sejam de borracha e 100% impermeável. Opte por materiais leves, confortáveis e resistentes. O calçado utilizado pelo açougueiro deve ser resistente a produtos de químicos e ao sangue proveniente da manipulação das carnes. O solado antiderrapante é indispensável e para os colaboradores que acessam as câmaras frias é importante que haja uma tecnologia que realize o controle de temperatura dos pés.

#Indicca – Geração de Conteúdo