Realizar trabalho em altas temperaturas, além de ser altamente desconfortável, representa sempre um risco eminente para a saúde e para a segurança do trabalho. Por esse motivo é muito importante estar atento ao conforto térmico do ambiente de trabalho. Independente se a temperatura é extremamente quente ou fria, é importante a utilização do EPI adequado para a situação.

Em baixas temperaturas é necessária a utilização de EPIs como casacos, calças, luvas, toucas e calçados térmicos. Para as altas temperaturas os EPIs devem ser avaliados de acordo com o tipo de atividade e com a fonte de calor. Existem diversas atividades que são desempenhadas sob temperaturas naturalmente altas (calor do sol) ou em contato com o calor produzido por equipamentos que aquecem ao extremo. Falando sobre o “calor mecânico” podemos citar como exemplo as indústrias do ramo alimentício e os segmentos/atividades que envolvem solda, metalurgia e siderurgia.

EPI para manuseio da máquina de solda

Máquinas de solda, por exemplo, são fonte de extremo calor. Operar esse tipo de equipamento sem a utilização do EPI correto pode causar queimaduras de diferentes níveis de gravidade em diversas partes do corpo. Profissionais do ramo lidam corriqueiramente com acidentes causados por faíscas e respingos de solda. Para que esses respingos não causem lesões graves é importante utilizar os equipamentos corretos de proteção individual.

Roupas térmicas

Em primeiro lugar, esse tipo de EPI é composto por blusa e calça confeccionados em material resistente ao calor ambiental e mecânico. A roupa térmica isola o corpo da temperatura, da umidade e da velocidade do vento, além de ser resistente a respingos e substâncias em altas temperaturas como no caso do trabalho do soldador.

Óculos de Proteção

Em segundo lugar, um EPI extremamente importante tendo em vista que os olhos são extremamente sensíveis e precisam de cuidados sempre. No caso das atividades com solda ele vai oferecer proteção contra o calor, contra a exposição à luz excessiva e contras os respingos. Os óculos EPI utilizados pelo soldador deve ter proteção infravermelha e ultravioleta.

Máscara de segurança

Em terceiro lugar, dependendo do tipo de solda aplicada, o rosto pode precisar de uma proteção além do óculos. A máscara de segurança protege toda área do rosto incluindo olhos, orelha e a parte frontal do pescoço.

Luva de segurança

Por último, mas não menos importante, temos a luva de segurança. A luva é um EPI importante para o soldador já que as mãos estão bem próximas da fonte de calor e não apenas dos respingos. A luva mais indicada para esse caso é a Luva Weld. A Luva Weld 4.501 é um EPI de solda confeccionado em couro com tratamento especial, costuras em aramida e forração térmica. Ideal para atividades que demandem proteção a chamas, calor por contato ou radiante, além de respingos de metal. Seu design foi cuidadosamente desenvolvido contando com punho de segurança de saque rápido e proporcionando um excelente desempenho e extremo conforto.

Não negligencie o uso do EPI – Trabalho em altas temperaturas

Sobretudo é dever do empregador, previsto em lei, o fornecimento de EPIs adequados às atividades que serão desempenhadas pelo seu colaborador. O EPI fornecido deve estar em perfeito estado e dentro do seu prazo de validade. Ainda assim, cabe ao empregador orientar o colaborador sobre a forma correta de uso do equipamento, sobre a sua importância para a saúde e segurança, além de zelar pela limpeza dos mesmos.

Todavia o colaborador, por sua vez, deve utilizar o EPI de forma correta e somente dentro do ambiente de trabalho. É seu dever seguir as orientações passadas pelos superiores e conservar o EPI de forma a prolongar o seu tempo de vida útil. O equipamento de proteção individual é crucial para que as atividades sejam realizadas sempre em segurança. O papel do EPI é minimizar, em alguns casos anular, os riscos à saúde do trabalhador.

Exposição excessiva ao calor e danos a saúde: existe EPI?

Um pedreiro é um exemplo de trabalhador que sofre com atividades desempenhadas sob altas temperaturas, principalmente no verão. Existem cidades no Brasil onde as temperaturas ultrapassam facilmente os 40ºC nessa época do ano. Com toda a certeza a exposição excessiva do trabalhador ao calor proveniente do sol, sem a devida proteção e precaução, pode levar à desidratação – que prejudica o funcionamento do organismo e, dependendo da intensidade, pode levar a alucinações.

O sol também é capaz de causar queimaduras na pele e a exposição a longo prazo pode trazer consequências ainda mais sérias, que incluem a infertilidade masculina e até mesmo o desenvolvimento de cânceres. Muita gente acha que a segurança no trabalho diz respeito somente ao uso de EPI ou relacionam apenas com risco de acidentes e outras ameaças provenientes do contato com objetos. Ademais a verdade é que a exposição às temperaturas extremas merecem total atenção.

Norma NR 15 – Atividades Insalubres (Trabalho em altas temperaturas)

Outrossim, a NR15 é a norma regulamentadora que trata das atividades consideradas insalubres. O anexo III da NR15 diz respeito aos “Limites de Tolerância Para Exposição ao Calor” e determina que a exposição do trabalhador ao calor seja avaliada através do “Índice de Bulbo Úmido Termômetro de Globo” (IBUTG). Ainda segundo a norma “as medições devem ser efetuadas no local onde permanece o trabalhador, à altura da região do corpo mais atingida”. A NR15 não traz informações sobre a utilização de EPI. Entretanto A legislação brasileira indica que a temperatura média dos locais de trabalho deve ser entre 20ºC e 23ºC, tanto para escritórios quanto para setores de produção.

Certamente a temperatura deve ser monitorada de forma constante e quando excedida deve ser imediatamente regulada. Em escritórios e alguns tipos de indústrias o controle de temperatura pode ser facilmente realizado com o auxílio de ventiladores e aparelhos de ar condicionado. Em locais onde não é possível realizar esse controle, como num canteiro de obras por exemplo, o anexo III da NR15 traz as orientações sobre as pausas para descanso. As pausas, em casos como esses, são direito do trabalhador e devem ser computadas como horas trabalhadas.

A pausa, para ser efetiva, deve ser realizada em ambiente com temperatura amena e monitorada. Outra medida é cuidar para que as tarefas mais pesadas sejam realizadas nos períodos do dia onde as temperaturas são naturalmente mais amenas, como início da manhã e final da tarde.

#Indicca – Geração de Conteúdo

#epi #luvas de proteção #equipamentos de segurança